Dorival elogia retomada do Santos e pede que G4 não vire obsessão

(Foto: Reprodução Flickr)

O técnico Dorival Júnior elogiou a postura do Santos na vitória por 4 a 0 contra o Atlético-MG, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. O comandante santista confessou ter ficado surpreso com a reação da equipe após a derrota por 3 a 1 para a Ponte Preta na última rodada, mas alertou os jogadores para que a disputa para chegar ao grupo dos quatro primeiros colocados não vire obsessão.

“Não esperava, sinceramente, porque enfrentamos uma equipe muito boa. O Santos voltou a ter uma boa atuação, fizemos uma grande partida. Gostaria de enaltecer a participação de todos os jogadores, pois se entregaram. Esse grande resultado vem valorizar ainda mais, não pelo número de gols, isso é consequência, mas pela postura e agressividade apresentadas”, disse o treinador.

Apesar de ter ido para o intervalo vencendo parcialmente por 1 a 0, com um gol de Garbriel Barbosa, o Santos dominou todo o confronto. No segundo tempo, marcou mais três vezes, novamente com Gabriel, além de Ricardo Oliveira e Marquinhos Gabriel.

Com a vitória, a equipe subiu para a sétima colocação, com 40 pontos, e está somente a um do G4, grupo dos quatro primeiros colocados que se classificam para a próxima Copa Libertadores da América. São Paulo e Flamengo, no entanto, que complementam a rodada na quinta-feira, ainda podem aumentar a vantagem.

“(O G4) vai acontecer de uma maneira natural, não pode ser obsessão. No momento certo, adequado, quem sabe podemos dar uma alavancada, buscar uma posição em uma oportunidade que não dê mais chances para que outro se recupere. A aproximação tem sido importante, mas não define nada ainda. É um campeonato longo, muita coisa vai acontecer. Por isso, precisamos estar atentos e focados até o fim, até pelo desgaste”, explicou.

O Santos, agora, volta a jogar no domingo, o clássico contra o Corinthians. O confronto acontecerá na Arena Corinthians, às 11h (de Brasília).

Crédito da foto: Reprodução



Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo. Comecei no Terra Esportes, em 2008, para onde voltei em 2011 e fiquei até 2015. Passei também por FPF, Diário LANCE! e o jornal A Tribuna, de Santos, com colaborações para a Revista Placar.