Copa Davis: Como o Brasil chega para o duelo contra a Croácia

Cristiano Andujar

Após um confronto equilibradíssimo contra a Argentina, em março, o time brasileiro na Copa Davis chega para a série diante da Croácia, válida pelos Play-Offs do Grupo Mundial, com boa reputação. Em Buenos Aires, foi João Souza, o Feijão, quem brilhou ao ganhar um ponto no primeiro dia e protagonizar uma maratona contra Leonardo Mayer no domingo. Por azar, acabou derrotado ao final das 6h42min de batalha, porém se transformou em herói nacional. Seis meses depois, todavia, a situação é bem diferente.

LEIA TAMBÉM:
Borna Coric prega favoritismo ao Brasil e rasga elogios a Thomaz Bellucci

Feijão surpreendentemente não manteve o nível que demonstrou na série contra a Argentina. Nessa semana, curiosamente, o paulista saiu do top 100 e não vence uma partida há dois meses (são sete derrotas seguidas em primeiras rodadas de ATPs e Challengers). Em má fase na época do confronto diante dos argentinos, Thomaz Bellucci, desta vez, é a aposta para a equipe de João Zwetsch.

O número 1 do Brasil se recuperou após um começo de ano decepcionante e, aos poucos, foi galgando lugares importantes no ranking. Em maio, conquistou o ATP 250 de Genebra, o quarto título de alto escalão da carreira, e hoje ocupa um lugar no seleto grupo dos 30 melhores do mundo.

Aos 27 anos e acostumado a ser convocado para o time canarinho da Davis desde 2007, Bellucci também tem ao seu lado a experiência em confrontos dessa importância. Se faltou confiança em Buenos Aires, onde perdeu os dois jogos de simples, agora a torcida em Florianópolis poderá contar com a força do canhoto.

Nas duplas, Marcelo Melo e Bruno Soares desembarcam em Floripa em momentos distintos. Atual número 5 do ranking, Melo faz belíssima temporada ao lado de Ivan Dodig (pela primeira vez seu rival, nesse fim de semana) e já está praticamente assegurado no ATP Finals de Londres depois da conquista inédita de Roland Garros, em junho. Já Soares passa por momento instável ao lado de Alexander Peya. Os dois alternaram bons resultados com eliminações precoces até aqui e podem ficar de fora do Finals.

Na Copa Davis, porém, não há espaço para zebras. Melo e Soares vêm de nove vitórias consecutivas em confrontos pela competição, inclusive, tendo batido os irmãos Bob e Mike Bryan nos Estados Unidos. A única derrota quando jogaram juntos aconteceu em 2010, quando foram batidos pelos indianos Mahesh Bhupathi e Leander Paes.

Curtiu a matéria? Siga o autor no Twitter: @fontes_matheus.
Facebook: Matheus Martins Fontes.

Fotos: Cristiano Andujar



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.