Copa Davis: Bellucci vence e Brasil sai na frente contra Croácia

O primeiro confronto entre Brasil e Croácia pela Copa Davis nesta sexta, reuniu Thomaz Bellucci  número 30 do mundo e Mate Delic número 499. O brasileiro encontrou certa dificuldade para fechar em 3 sets a 1 com parciais 6/1, 6/4, 2/6 e 6/4 em 2 horas e 33 minutos.

Com o apoio da torcida o brasileiro conseguiu se impôs no primeiro set, e com duas quebras de saques não teve problemas em fechar em 6/1. Delic estava muito nervoso no começo de jogo, pois ventava muito em Florianópolis e estava desviando a trajetória da bola, ocasionando muitos erros não forçados. No total foram 89 erros não forçados, contra 79 do brasileiro no jogo.

LEIA MAIS :
Copa Davis: Derrota traumática para a Austrália em 2001 impede retrospecto perfeito do Brasil em Florianópolis

O segundo set começou com o Delic sacando e confirmando. Bellucci empatou e em seguida conseguiu a quebra. O croata conseguiu empatar após quebra do saque no oitavo game e empatando em 4 a 4. Bellucci acabou quebrando o saque do tenista europeu e confirmando o seu saque, fechando a parcial em 6/4.

O início do terceiro set para o paulista não foi muito bom. Foi quebrado logo de cara e o croata abriu 3 a 0. Cometendo muitos erros não forçados, e não conseguindo nenhuma quebra, o croata fechou em 6/3. Só nesse set foram 27 erros para o brasileiro, contra 23.

O quarto set começou como o anterior com uma quebra para Delic. Bellucci consegui a quebra e empatar a partida no oitavo game empatando a partida em 4 a 4. Sacando o brasileiro fez 5 a 4, deixando a pressão para o adversário. Com a torcida pressionando, ele não conseguiu manter seu saque e o brasileiro fechou o set em 6/4 e o jogo.

Para o confronto, esse primeiro ponto foi importantíssimo para dar moral a equipe brasileira e tirar um pouco da pressão em cima de João Souza, que na segunda partida do dia, jogará contra revelação Borna Coric de 18 anos, no Costão do Santinho.

Foto: Reprodução



Sou pai dos gêmeos Guilherme e Rafael e marido da Sabrina. Sou arquiteto e apaixonado por esportes, quase fui tenista profissional, além de tênis o futebol também é uma paixão.