Brasileiro detona campeão do Ultimate: “O Cormier comprou o UFC?”

Glover Teixeira concedeu entrevista no lançamento do “UFC: Belfort x Henderson 3”, na última terça-feira, em São Paulo, e fez questão de detonar contra o lutador Daniel Cormier. O americano chegou a falar que o brasileiro teria que esperar algum tempo, para lutar novamente pelo cinturão dos meio-pesados do UFC.

LEIA MAIS:
Garotinho pede mão de Ronda em casamento: “Quebre meu braço, não meu coração”

“O Cormier tem organização agora? Comprou o UFC? Porque ele é igual a mim, não fala p**** nenhuma ali dentro. Quem fala é o UFC, e na hora que eles mandarem lutar com ele eu vou lutar. Ele não tem que falar nada, tem que lutar e defender o cinturão dele. É um bom atleta, mas quem é ele para falar alguma coisa? Acho que é o jeito dele (Cormier) falar. Acho que é até brincadeira, porque ele perdeu para o Jon Jones, lutou contra um cara, ganhou e fala que está brincando com a categoria? Se tivesse ganhado cinco lutas, defendido o cinturão seis vezes… Ele nem defendeu ainda, vamos ver. E tem uma pedreira pela frente”, disse o mineiro.

O mineiro também aproveitou o momento para comentar sobre a possibilidade de retorno de Jon Jones ao Ultimate, que está suspenso e sua volta está sendo avaliada pelo UFC. Glover aproveita para enaltecer que caso o lutador volte ao octógono, Jones lutará para conquistar o cinturão do meio-pesado e deixa sua torcida para que Jon volte novamente.

“ Com certeza a divisão muda sem o Jon Jones. Em termos de lutar pelo cinturão a ausência dele é melhor para nós, porque é menos um. Se o Jon Jones voltar ele vai lutar pelo cinturão. Mas a gente precisa de um cara igual como ele, porque ele defendeu o cinturão por muito tempo, é o top. Eu torço para que ele volte a lutar, porque ele provou que é o melhor. Enquanto eu ou alguém não batermos nele, o Cormier vai ficar como melhor, né? Se ele se aposentar hoje, se aposentou invicto. É difícil falar, mas ele voltando, é o grande nome do esporte. A gente precisa dele. Até mesmo o Cormier está falando isso, porque vende. É bom para gente. Mas não tenho a mínima ideia se ele volta, ou quando”, completou.

Questionado sobre a política de proibição à hidratação intravenosa, com soro, o brasileiro garante que nunca foi de acordo com a prática. Mas Glover revela que quando lutou contra Phil David, na qual perdeu, não estava bem e explica como aconteceu sobre a sua derrota no Brasil.

“Não me afeta em nada, porque não gosto de soro. Inclusive na minha penúltima luta, contra o Phil Davis, que foi a minha última luta no Brasil, com a hidratação com soro, eu retive muito líquido, não me recuperei bem. Para mim é melhor a proibição. Acho que aplicação de soro não é boa, porque o cara quer subir muito de peso, sobe dez, 12 quilos. É por isso que eles tiraram, talvez seja até melhor para o atleta”, concluiu o técnico.

Foto: Divulgação/UFC



Radialista, Jornalista com passagens como correspondente pelo site italiano CalcioNews24.com e pelo Arena Rubro-Negra. Atualmente setorista do Fluminense e Futebol Sul-Americano no Torcedores.com