Técnico de Ronda provoca Cyborg e Bethe

Getty Images

Nesta quarta-feira, Edmond Tarverdyan concedeu entrevista ao “Submission Radio” e comentou sobre a Cris Cyborg e Bethe Correia. Em relação a Cris, o técnico de Ronda deixa claro que o duelo só vai acontecer entre os pesos-galos e que não pretende fazer exceção para que a luta aconteça no peço caso e chama Cyborg de trapaceira.

LEIA MAIS:
Opinião: O ideal americano que existe em Ronda Rousey

“Honestamente, não entendo o que ela está falando sobre isso de peso casado. Ela precisa bater o peso para lutar. Não entendo peso-casado, não gosto de peso-casado. Não entendo o que ela fala sobre peso-casado. Não gosto disso nem no boxe. Existe uma divisão de peso e todos devem seguir as divisões de peso e lutar naquele peso pelo título. Ronda é a campeã do peso-galo neste momento. Ela (Cyborg) fez coisas no passado que colocaram a vida das lutadoras em perigo. Quando estamos treinando e estamos na academia, tentamos fazer tudo de forma inteligente, esperta e segura, então podemos ser respeitosos com o esporte. Ela deve ser capaz de bater 61,2kg. Este é o peso para o título do UFC. Ela disse algo sobre lutar até 63,5kg ou algo do tipo, ou que “os fãs merecem ver a luta”. Definitivamente eles merecem ver esta luta. Então bata o peso e a luta vai acontecer, sem problemas”

“Ronda, quando está treinando, pesa em torno de 67,1kg. Então não quero que ela lute até 65,8kg. Antes, quando ela lutou, a razão era uma só: ela estava apenas começando a carreira dela no MMA. E número dois, é que nós estávamos prontos para lutar todos os dias. Ronda não conseguia ter lutas. Não era como se fosse uma escolha de Ronda lutar nos penas ou galos. As pessoas não queriam lutar contra Ronda. Ronda lutou contra oponentes invictas o tempo todo também em sua carreira amadora. Qualquer um que quisesse lutar com ela, nós dizíamos para a organização: “Nos avise um dia antes e aceitamos a luta”. Não ligávamos para o peso porque o problema era que as pessoas não queriam lutar com ela. Era um problema encontrar alguém. E aquelas garotas não fizeram o que Cyborg fez. Elas não trapacearam. Cyborg trapaceou. As pessoas precisam entender isso. Então p… nenhuma de exceções para ela. Quero isso no peso-galo. Ronda bate Cyborg na trocação. Ela domina as pessoas, pressiona com seus socos e os joga pesado. Todos viram a velocidade e a potência de suas mãos. Eu nunca fui fã de Cyborg. Acho-a lenta. Ela impressiona as pessoas pelo que ela fazia antes, eu acho. Ronda é uma melhor atleta, mais ágil, mais forte e mais rápida”, completou.

Sobre a Bethe, o técnico Edmond comenta que Ronda bate em qualquer um em qualquer área e garante que não é necessário ter plano de luta para alguém como a própria Rousey. Além de explicar como foi a luta com a brasileira.

“Como sempre disse, Ronda soca tremendamente com ambas as mãos. Bethe não tinha sido nocauteada e nem finalizada, e foi nocauteada com um soco, o que é incrível. Estou muito feliz com a performance dela. Ninguém no mundo pode clinchar com Ronda, porque ela derruba e finaliza. Todos sabem disso. Então por que Bethe tentou clinchar? Porque estava se machucando. Ela queria diminuir o espaço e parar a velocidade das mãos de Ronda, que têm muita potência. E Ronda tirou vantagem disso e a pegou. Não precisa de plano de luta para alguém como Ronda Rousey. Ela bate qualquer um em qualquer área.”

Foto: Getty Images



Radialista, Jornalista com passagens como correspondente pelo site italiano CalcioNews24.com e pelo Arena Rubro-Negra. Atualmente setorista do Fluminense e Futebol Sul-Americano no Torcedores.com