Pride acabou em 2007 e estrelas migraram para o UFC

A história gloriosa do Pride teve fim exatos dez anos após o início. Em 2007, o evento japonês foi comprado pelo UFC em 2007. À época, os dois eventos eram concorrentes. Vale lembrar que, durante muito tempo, o Pride foi o maior evento de MMA do planeta.

Sem o Pride, grande parte de seus principais lutadores migraram para o UFC. Foram os casos dos brasileiros Rodrigo Minotauro, Wanderlei Silva, Mauricio Shogun (foto) e outras estrelas como Mirko Cro Cop, Dan Henderson e Quinton “Rampage” Jackson.

Considerado o maior lutador do Pride e um dos maiores de todos os tempos no MMA, o russo Fedor Emelianenko foi a exceção. Até hoje, ele nunca lutou no UFC. Após deixar o Pride, Emelianenko passou por diversos eventos, entre eles o Affliction, até chegar no Strikeforce, em 2009. Mas logo ele foi para o M-1 Global, da Rússia, antes de anunciar aposentadoria. Recentemente, Fedor anunciou o retorno às lutas. Mas ainda não há acordo.

A ausência do Pride gerou um “filhote”: o Dream. Ex-executivos do Pride fundaram o Dream no Japão em 2008. A companhia funcionou até 2012, até falir.

Crédito da foto: Getty Images



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.