Presidente do Olympique diz que Bielsa usa desculpas para justificar saída do clube

MarceloBielsaO presidente do Olympique de Marselha (FRA), Vicent Labrune, rebateu nesta quinta-feira (13) as queixas de Marcelo Bielsa, que anunciou sua saída do comando do clube, por conta de problemas para a renovação de seu contrato, conforme comunicou o argentino em entrevista coletiva.

De acordo com o mandatário, um acordo verbal estava acertado até o final da temporada 2016/2017, mas ele deixa claro que as informações dadas por “El Loco” seriam na verdade um pretexto arranjado pelo treinador para justificar sua saída do cargo, anunciada no último sábado (8), quando a equipe foi derrotada pelo Caen pelo placar de 1 a 0, na estreia dos dois times no campeonato francês da temporada 2015/2016, quando esperava-se que o time repetisse sob o comando de Bielsa a boa campanha da temporada passada.

“A partir do momento em que não havia nenhum desacordo financeiro, que a acionista havia feito esforços financeiros, acredito que a decisão dele estava tomada antes mesmo da reunião de quarta-feira. Tínhamos previsto assinar contrato no sábado”, comentou o dirigente marselhês.

O argentino declarou que em conversa mantida com Labrune e com o advogado da investidora, Margarita Louis-Dreyfus, alguns dos assuntos anteriormente citados não estavam sendo respeitados na confecção deste acordo que trataria da renovação contratual do argentino, que entre outros trabalhos, comandou a Argentina na Copa do Mundo do Japão e Coreia de 2002.

“O contrato não foi modificado. A acionista fez esforço muito grande para que as duas partes se aproximasse. Não houve desacordo”, assegurou.

Apesar da fama de ser uma pessoa com atitudes contraditórias e imprevisíveis, Bielsa é uma pessoa muito inteligente, de acordo com Labrune, que já busca um novo comandante para a equipe, embora ainda não tenham sido revelados possíveis nomes para o substituto de Marcelo à frente do time de Marselha.

“Não buscamos um treinador que dê sequência do trabalho. Não buscamos um herdeiro, mas alguém de se adaptar aos nossos objetivos e ambições”, concluiu.