Oswaldo de Oliveira já declarou que aceitaria voltar ao Vasco; relembre

Palmeiras
César Greco/Agência Palmeiras

A derrota do Vasco para o Santos nesta quarta-feira (12) deixou o Gigante da Colina na lanterna da competição. Como se não bastasse a má colocação no Campeonato Brasileiro, o Cruzmaltino também não mostra nenhuma perspectiva de melhora dentro de campo, o que torna inevitável a permanência de Celso Roth no comando técnico.

LEIA MAIS:
Lucas Lima é notificado pela CBF e pode ser convocado para a Seleção Brasileira
Derrota do Vasco para o Santos vira motivo de piada na internet; veja

Com a saída do atual treinador dada como certa, um nome que ganha força para substitui-lo é Oswaldo de Oliveira, profissional que já passou por São Januário no ano 2000 e que saiu de maneira polêmica. Na ocasião, o Vasco estava na Semifinal da Copa João Havelange e na final da Copa Mercosul, competições das quais Oswaldo já declarou se considerar vencedor.

Em participação no programa Fox Sport Rádio, da Fox Sport, em 2 de março de 2015, o então treinador do Palmeiras relembrou sua passagem pelo Cruzmaltino. Para ele, mesmo sem ter participado da festa pelas conquistas da Copa João Havelange e da Mercosul, os títulos também são dele:

“No meu currículo tem os dois: tanto a João Havelange, quanto a Mercosul. Eu disputei 30 das 33 partidas, como não sou campeão?”, questionou Oswaldo.

O motivo da dúvida se dá pela saída a abrupta que ele teve na reta final das competições. Demitido após um empate contra o Cruzeiro por 2 a 2, em São Januário, em jogo válido pela primeira partida da semifinal do Brasileirão da época, Oswaldo não considera que houve conflitos com Eurico Miranda nesse caso. Segundo ele, foi uma questão de interferência da diretoria no seu trabalho:

“Não teve atrito com ele [Eurico Miranda]. Apenas ele quis modificar minha programação para reiniciar o trabalho e eu não concordei. Daí ele disse que tava fora e eu disse, sim senhor”, explicou Oswaldo de Oliveira.

Apesar disso, o atual treinador do Palmeiras, único no Brasil a treinar os quatro grandes times do Rio de Janeiro e de São Paulo, não descarta um retorno ao Vasco, ainda que o presidente seja Eurico Miranda:

“Se o Vasco me pagar, eu volto. Fui apaixonado pelo Vasco”, garantiu Oswaldo.

Agora, resta saber se essas são realmente mágoas passadas e se, havendo um convite, Oswaldo de Oliveira aceitaria o desafio de salvar o Vasco do rebaixamento.

Foto: César Greco/Agência Palmeiras