Opinião: Palmeiras tem a chance de devolver goleada histórica ao Coritiba

Coritiba x PSTC
Crédito da foto: Divulgação/Site oficial Coritiba

No dia 5 de maio de 2011, o Coxa goleou o Palmeiras por 6-0, no Couto Pereira, em partida válida pelas quartas de final da Copa do Brasil. Em 2015, pelo Brasileirão, o Verdão tem a oportunidade de devolver o massacre dentro da casa do adversário.

LEIA MAIS
5 motivos para Marcelo Oliveira escalar Cleiton Xavier como titular
Cristaldo repete números de Gioino no Palmeiras
Palmeiras e Coritiba vivem situações opostas três anos após decisão da Copa do Brasil

Marcão voltava ao gol palmeirense após uma sequência longa em recuperação de lesão. Com o ídolo do time no gol, os jogadores paulistas se sentiam mais confiantes, porém não esperavam que os jogadores coxa-branca estavam num dia excelente e que saberiam aproveitar todos os vacilos alviverdes. O jogo foi 6-0, fora o baile, em um dos maiores vexames da história do Palmeiras.

Em 2015, contudo, a história poderá ser bem diferente. Com um time repleto de bons jogadores e qualidade técnica considerada uma das melhores do atual campeonato, o Palmeiras enfrenta um Coritiba apático, lanterna da competição com apenas 12 pontos, o terceiro pior ataque com 10 gols e uma das piores defesas, com 22 gols sofridos.

Um jogo com uma disparidade técnica como essa, o mais lógico é o time mais fraco se recuar e jogar nos contra-ataques, à base do erro adversário. O Palmeiras, quando enfrenta adversários com essa característica, não consegue bons resultados. O Coritiba de hoje, contudo, apesar de ser mais fraco, muito dificilmente jogará retrancado aguardando o Verdão.

Jogando em casa, o time paranaense deverá vir para cima. O técnico Ney Franco não pode se dar ao luxo de jogar recuado e perder o apoio do torcedor, a esta altura já desesperado com receio de um novo rebaixamento. Precisando dos três pontos, o Coritiba deverá jogar no ataque, fazendo valer a pressão característica dos times que jogam em casa.

Se souber jogar com calma, tal qual na partida contra o Vasco, em São Januário, o Palmeiras deverá passar fácil pelo Coritiba. Acertando as jogadas de ataque – ainda mais com um meio-campo tão técnico como o provável de hoje, com Cleiton Xavier, Robinho e Arouca -, os gols deverão sair naturalmente, podendo até mesmo se transformar em goleada.

Existe hoje no futebol uma prática nada agradável ao torcedor: quando um time começa a ganhar por 3, 4 gols de diferença, pisa no freio e se poupa para a rodada seguinte, coisa que não acontecia nos anos 90, quando víamos goleadas de 6, 7, 8 gols. No futebol moderno, as exceções aparecem apenas nos clássicos – e olhe lá.

Outro fator preponderante para o baixo número de goleadas no “futebol moderno” é o tal respeito ao adversário. O meia Robinho chegou a confidenciar esta semana que os jogadores do Vasco pediram para o Palmeiras “maneirar” no jogo, uma vez que já venciam por 3-0. Mas será que o respeito é perdido quando um time goleia o outro ou quando o sentimento de “dó” paira no ar a ponto do jogo seguir morno até o seu final?

O Coritiba está engasgado no pescoço de muitos palmeirenses, principalmente de seu presidente Paulo Nobre, que não deve ter esquecido tão fácil a goleada sofrida em 2011. Se o mandatário mandar alguma mensagem para o elenco antes da partida, aposto minhas fichas que seja para ganhar. E se possível, ganhar sem dó, com sangue na veia.

E que assim seja.

Foto: Site Oficial Coritiba