Opinião: Não basta lotar o Allianz Parque, é preciso incentivar

Foto: Allan Simon/Torcedores.com

O Palmeiras já vendeu mais de 30 mil ingressos para o duelo deste domingo (16) contra o Flamengo, às 11h, no Allianz Parque. Diferentemente de outros times, o horário da manhã não aumenta a presença de público no estádio, já que tivemos números tão bons quanto esses em partidas no meio de semana à noite e nos domingos à tarde. Mas o perfil de torcida muda.

LEIA MAIS
Opinião: Nathan e Cleiton Xavier não podem mais jogar no Palmeiras

Só neste Brasileirão, estive presente ao Allianz Parque em sete jogos do Palmeiras. O último foi a derrota para o Atlético-PR, também num domingo de manhã, por 1 a 0. Esse foi o placar do outro revés do Verdão em casa neste campeonato, para o Goiás, também às 11h, que acompanhei pelo PPV por força do trabalho.

Os outros jogos aos quais compareci foram em um sábado às 18h30, dois domingos às 16h, duas quartas às 21h, e uma quinta-feira, no mesmo horário. E posso afirmar com certeza que há diferenças nos torcedores desses dias. O horário das 11h é considerado como um atrativo para o público “mais família”. É verdade. Casais com crianças eram vistos aos montes no Allianz Parque.

Mas o impacto de um estádio lotado não é notado sempre dentro de campo. Contra o Atlético-MG, num sábado às 18h30, o Palmeiras ficou duas atrás do marcador, a torcida organizada Mancha Verde protestava e se recusava a cantar, mas os torcedores “comuns” se revoltaram com a atitude e puxaram seus próprios coros. Empatamos aos 50 do segundo tempo.

Nos outros jogos, muita empolgação desde o início e gols rápidos no primeiro tempo. Receita para golear o São Paulo, vencer bem Chapecoense e Avaí, e ainda faturar mais um clássico contra o Santos. Inexplicável foi o empate contra o Internacional, quando jogamos melhor. Em todos esses, houve apoio da torcida durante todo o jogo.

Já contra o Atlético-PR, a empolgação durou alguns minutos. Os cantos da Mancha Verde ficavam restritos ao setor que a abriga, o Gol Norte. Para esses torcedores, que trazem a alma dos gritos de guerra e apoiam o clube, deve ser uma frustração ver os coros morrendo ao longo do estádio.

Muita gente comemora público e renda do Palmeiras no Brasileirão. Não sou desses, mas acho válido, porque é uma demonstração de que nós, torcedores e sócios-torcedores palmeirenses, estamos fazendo a nossa parte, contribuindo para o clube deixe de ser deficitário e possa dar lucro. Mas é hora de apoiar mais o time.

O jogo contra o Flamengo tem tudo para ser complicado. Temos três derrotas seguidas nas costas, o Rubro-Negro vem se recuperando na competição e a paciência da torcida do Palmeiras começa a diminuir. Eu sei que muita gente está começando agora a ir aos estádios, pois antes tinham medo da violência tão propagada na mídia. É normal não saber cantos e como agir ao longo da partida.

Mas eu peço, encarecidamente, aos torcedores do Palmeiras que estarão no Allianz Parque: vamos mostrar a nossa voz, fazer a nossa parte. Isso ajuda muito os jogadores dentro de campo. “Cantar” e “vibrar” são duas ações que estão em nosso hino, façamos jus a essa tão bonita canção.

Foto: Allan Simon/Torcedores.com



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016. Também colabora com o ONDDA, site "irmão" do Torcedores.com.