Opinião: Árbitros protestam contra veto na MP do futebol, “Farinha pouca, meu pirão primeiro”

Foto: Divulgação

“Farinha pouca, meu pirão primeiro”. O ditado é antigo, mas seu uso é contemporâneo. Aliás, aconteceu hoje, na 18a. rodada do Brasileirão. Descontentes com o veto da presidente Dilma Rousseff ao item da Medida Provisória (MP) do futebol que assegurava o direito de arena dos árbitros, os mesmos sentiram-se no direito de protestas antes do início de todas as partidas da rodada. Pois bem, 

A presidente vetou o item da Medida Provisória 671, “transformada” na Lei 13.155, que direcionava 0,5% dos direitos de transmissão que seriam repassados aos juízes, a presidência alegou que o texto estava confuso e que explicava bem o direcionamento desse ‘ recurso’. Alguns árbitros chegaram a atrasar as partidas em 1 minuto, entraram com faixas pretas no braço ou no pulso e até usaram a placar de minutos para sinalizar 0,5%. A ANAF (Associação Nacional dos Árbitros de Futebol, disse em nota oficial “É a primeira manifestação desta envergadura na história da arbitragem brasileira”.

O árbitro é a autoridade máxima dentro de campo. Qualquer protesto é válido na minha opinião em seu direito a liberdade de expressão, salvo quando inibe a liberdade do outro. Ok. Então porque protestar chegando a atrasar partidas é manifestação de envergadura na história e protestar apenas com faixa, e na torcida contra um árbitro que está tendo suas atitudes investigadas não é válido? Quando fere a mim vale, quando falam de mim, não? É o coronelismo em campo? Lamentável.

Política e futebol nunca deveriam se misturar. A Associação não descarta a possibilidade de greve, o que poderia afetar todo o campeonato. A nota oficial publicada no site oficial da entidade ainda garante que ‘os recursos sairiam do bolso da empresa detentora dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro (Rede Globo), sem qualquer ônus para o Estado’. Quando o assunto é dinheiro no futebol ninguém tem bons olhos, em 2014, o Governo pagou cerca de R$784 mil para que a Globo transmitisse sem exclusividade a Copa do Mundo Sub-20, Copa do Mundo Sub-17, Copa do Mundo de Futebol Feminino e a Copa do Mundo de Futebol de Areia.O pagamento foi feito à Globo porque a emissora é a detentora dos direitos de transmissão no Brasil de todos os torneios internacionais de futebol organizados pela Fifa e publicado no Diário Oficial da União. A TV Brasil também adquiriu os direitos e pagou cerca de R$ 250 mil à Globo. o canal público controlado pela EBC (Empresa Brasil de Comunicação), órgão ligado ao Governo Federal, pagou caro para ter os direitos destas competições. Já basta. Mal posso esperar para ver a opinião do Romário sobre o assunto protesto da arbitragem.

Enfim.Onde há dinheiro e interesses o acordo nunca agradará a todos. A sanção não ocasiona prejuízo aos árbitros, já que nenhum valor está sendo retirado e sim não está sendo adicionado. Mas a dúvida fica, se não vai aos juízes vai para quem? Aqui, talvez caiba mais um ditado: “Em casa que falta pão, ninguém tem razão”.

Imagem: Reprodução/Premiere

* Curtiu esta matéria? Siga a autora no Twitter: @ba_scarelli

 

 

 

 



Formada em jornalismo pelo Mackenzie, demorei anos para perceber que dá, sim, para ir atrás dos sonhos e trabalhar com o que se gosta: o esporte. Hoje me divido entre o esporte e a política. Nunca vou me conformar com os que dizem: "É só futebol.."