Lembra dele? Cabañas foi padeiro no Paraguai e passou por time do interior paulista

Getty Images

O atacante paraguaio Cabañas assombra até hoje as memórias dos torcedores do Flamengo e do Santos, graças aos gols que eliminaram os dois clubes da Taça Libertadores. Gordinho, cabelo comprido, Cabañas se destacou pelo América do México. Quase morreu após levar um tiro na cabeça, mas se recuperou e voltou a jogar futebol.

Cabañas hoje tem 35 anos. E poderia estar jogando futebol em alto nível até hoje. Mas está oficialmente aposentado dos gramados. Entre outras coisas, o jogador trabalha na padaria da família e quer ter uma escola de futebol, segundo declarou em entrevista à “Rádio Cardinal”, de seu país, no ano passado.

A carreira de Cabañas tem de ser analisada antes e depois do fatídico dia 25 de janeiro de 2010. Antes disso, o jogador era um dos grandes atletas do América do México e era nome certo para defender o Paraguai na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. Contudo, ele levou um tiro na cabeça em uma suposta tentativa de assalto ocorrida em um bar na Cidade do México.

A bala ficou alojada na cabeça do jogador, que só voltou aos gramados oficialmente em abril de 2012, pelo modesto 12 de Octubre, então na terceira divisão paraguaia. A passagem foi curta, até que foi contratado pelo Tanabi, time do interior de São Paulo.

No clube, pouco fez. Chegou em março de 2014 e saiu em maio do mesmo ano. Não disputou nenhum jogo oficial e, no amistoso que disputou contra o Grêmio Barueri, perdeu um pênalti. À época, Cabañas declarou que encerrava ali a carreira e que voltaria ao Paraguai para tentar criar um complexo esportivo. Mas, em junho de 2014, saiu da aposentadoria para jogar pelo Pedro Juan Caballero, do Paraguai.

Além de ter a carreira severamente afetada pela violência, Cabaãs acusa a ex-esposa, María Lorgia Alonso, de ter tomado todo o seu dinheiro. De acordo com a agência de notícias “AFP”, María teria dado um golpe no ex-jogador: “À medida que o tempo passa eu vou me dando conta de muitas coisas… Até o advogado se vendeu para eles. Ela (María) diz que o dinheiro acabou”, falou Cabañas, em declarações reproduzidas pelo site “Globoesporte.com”. Ele, inclusive, teria assinado documentos utilizando a impressão digital.

Crédito da foto: Getty Images



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.