Kazushi Sakuraba, o caçador de Gracie no Pride

Wanderlei Silva/Facebook

Royler, Renzo, Ryan e Royce. O que esses quatro nomes têm em comum? Bom, além de iniciarem com a letra “R” e carregarem o peso do sobrenome Gracie no MMA, todo o quarteto foi derrotado pelo japonês Kazushi Sakuraba. Entre os maiores lutadores do país asiático – para muitos o maior –, The Gracie Hunter (O Caçador de Gracies), como ficou conhecido Sakuraba, é uma lenda das artes marciais mistas, sobretudo no Pride.

A estreia dele no maior evento de MMA do Japão ocorreu em 1998, um ano depois da fundação do evento. Com três combates de experiência na luta profissional, Sakuraba precisou de três rounds para finalizar o norte-americano Vernon White. A partir dali, o japonês passou a encantar as pessoas em outras seis lutas antes de encarar o primeiro desafio diante de um Gracie.

Em 1999, Sakuraba mostrou que além de ter uma técnica apurada de Wrestling Japonês e Grappling, também tinha uma luta de chão afinadíssima. Foi com base nessa técnica que ele finalizou o brasileiro Royler Gracie aos 13 minutos do segundo round.

Um ano depois, o desafio para Sakuraba foi ainda mais pesado. Iria encarar a lenda Royce Gracie, o homem que desafiou as artes marciais de todo o mundo. Numa jogada de mestre, Sakuraba fez valer sua tática. Após longos seis rounds de 15 minutos, ele cansou o brasileiro ao extremo. Cansou tanto e fez tanta pressão que o corner de Royce se viu obrigado a jogar a toalha sobre o ringue e desistir do combate.

O terceiro ato de Sakuraba diante do clã Gracie ocorreu ainda no mesmo ano. Desta vez a vítima do bom jogo do japonês foi Renzo. O brasileiro que hoje é mestre em Jiu-jitsu de lutadores como Chris Weidman, Frankie Edgar e Roy Nelson, na época, não conseguiu aplicar seu jogo contra o japonês. Aos 9 minutos e 43 segundos do segundo round, acabou sendo finalizado por Sakuraba.

O quarto e último combate de Sakuraba contra um membro da família Gracie no Pride ocorreu apenas quatro meses depois. Em dezembro de 2000, o japonês se viu diante do brigador Ryan Gracie, mais jovem e menos experiente do que os desafiantes anteriores. Ainda assim, a luta durou 10 minutos e teve como resultado final uma vitória por decisão unânime dos juízes a favor de Sakuraba.

Quem acompanha o MMA há muitos anos não esquece jamais das exibições desse japonês sempre a bordo de um calção com tons laranja e com as orelhas envoltas a esparadrapos. Curiosamente, a vida de Sakuraba no mundo das lutas começou com derrota para o alemão Kimo Leopoldo. Foi superando este revés que ele conseguiu construir a bonita história no MMA com o cartel de 26 vitórias, 16 derrotas, 1 empate e 2 lutas sem resultado.
Sua última luta no Pride ocorreu em 2005, com vitória sobre o compatriota Ikuhisa Minowa, ao aplicar uma Kimura, uma de suas especialidades.



Jornalista formado no UniCeub. Cobre esportes desde 2008: dos campeonatos amadores, evoluindo aos estaduais, chegando aos Nacionais até a Copa do Mundo de 2014. De 2010 a 2012 atuou como correspondente de esportes do Correio Braziliense, no Rio de Janeiro. Atualmente, editor do caderno Torcida, do Jornal de Brasília. Amante de um bom samba, futebol e cerveja.