Jornalista é espancado até a morte após criticar jogador

Reprodução/Facebook

Um jornalista do Azerbaijão, Rasim Aliyev, foi espancado no último sábado (8) e faleceu neste domingo, não resistindo aos ferimentos.

Aliyev, foi brutalmente espancado por, supostamente, parentes e amigos de Javid Huseynov, um jogador de futebol. Aliyev foi agredido no bairro Bayil de Baku, após ter sido atraído por uma pessoa que se dizia parente do jogador.

LEIA MAIS:
Opinião: entenda a crise no jornalismo e o papel do torcedor nisso

Aliyev criticou publicamente Javid Huseynov, jogador do clube Gabala, no Azerbaijã,o por seu comportamento antiético ao responder a pergunta de um jornalista grego no final de um jogo. Quando o jornalista se aproximou de Huseynov e perguntou por que ele acenou uma bandeira turca para torcedores do Apollon Limassol, Huysenov fez um gesto com a mão e disse que os dois países eram amigos.

No seu Facebook pessoal, Aliyev escreveu: “Eu não quero, esse sujeito amoral, impertinente e incapaz de controlar a si mesmo, me representando em campos de futebol europeus”.A partida foi realizada pela Liga Europa e, a versão da imprensa local, é que o jogador usou uma bandeira turca para provocar torcedores do Apollon Limassol.

Como resultado do espancamento, Aliyev sofreu fraturas em sua costela esquerda e perdeu audição em sua orelha esquerda antes e morrer.

O Ministério e Assuntos Internos do Azerbaijão declarou após a morte de Aliyev: “Em 8 de agosto, Rasim Aliyev foi espancado por um grupo de homens desconhecidos em Bayil, distrito Sabail. Ele foi enviado à um hospital com ferimentos corporais graves e múltiplos. Ele morreu 9 de agosto como resultado de ferimentos sofridos”.

“O processo criminal foi aberta sob o artigo 126.3 do Código Penal (imposição intencional de dano corporal causando a morte). Há uma equipe de investigação cuidando do caso. (Se considerados culpados, os suspeitos podem pegar entre 7 a 12 anos de prisão) O caso está sob supervisão do Procurador-Geral e do Ministério de Assuntos Internos”, – relatou Azadlig, o procurador

Este não foi um incidente isolado. Aliyev foi atacado antes. Ele também recebeu uma série de mensagens de ameaça por Facebook.

Crédito da foto: Reprodução/Facebook