JOI 3 x 0 CRU: 5 pontos para o cruzeirense lamentar

O Cruzeiro viajou para Santa Catarina e o placar explica completamente o que foi o duelo com o Joinville: 3 a 0 para o time da casa, de forma inconteste. Assim, é até fácil apontar falhas da equipe azul. Abaixo, veja cinco delas que o torcedor não deve esquecer para que possa cobrar nas próximas rodadas:

Leandro Damião não é banco à toa: Damião marcou vários gols no Estadual – mas é isso, o nível do Estadual é baixo. Contra times de Série A o atacante não consegue mais render. Sua entrada já no desespero foi a prova disso mesmo com o time mal, a bola ainda chegou a seus és, e ele perdeu um gol feito, sozinho.

Léo não é confiável improvisado na direita: 53% dos ataques do Cruzeiro foram criados pela esquerda. Léo, improvisado na direita, não é culpado por não conseguir manter a mesma força do lado oposto, já que não é sua posição de origem e ele não pode negar a oportunidade de atuar. Mas Luxemburgo precisa encontrar uma solução.

Falta de criação: o Cruzeiro trocou  548 passes durante o jogo; o Joinville, 232. Ou seja: os catarinenses assumiram que não sabem jogar com a bola nos pés e foram incisivos. Já o Cruzeiro esteve perdido, sem criação, sme originalidade.

Sem vitórias conta catarinenses: empate com o Avaí em 1 a 1 e derrotas para Chapecoense (1 a 0), Figueirense (2 a 1) e Joinville. Tirando a Chapecoense, todos brigam diretamente com o Cruzeiro contra o rebaixamento. Péssima campanha..

Poucos chutes: foram só 8 chutes ao gol, e apenas dois na direção da meta. Foram menos chutes certos do que gols do Joinville. Complicado.

Foto: Geraldo Bubniak/Lightpress/Divulgação Cruzeiro



Jornalista esportivo.