Dieta alternativa: J.J. Watt ingere 9.000 calorias por dia para manter físico

Crédito da foto: USA Today.

Em fevereiro, o treinador do DE do Houston Texans desde os tempos de colégio, Brad Arnett, sentiu que o atleta não estava bem. Apesar da forma física de Watt estar intacta, mas a mente do atleta não estava funcionando como deveria. O defensor conhecia seu corpo suficientemente bem para saber que faltava alguma coisa.

“Meu corpo estava sedento por algo que não estava lá”, disse J.J. Watt. Era uma questão não só puramente de sensitiva ou psicológica, mas sem dúvida, física – e, juntos, o técnico e o jogador chegaram à conclusão do que faltava: mais comida.

“Ele estava tentando abastecer-se sem combustível”, disse o atleta sobre seu corpo, que resolveu isso adicionando uma fartura absurda em sua dieta diária. Se ele comia oito peitos de frango em sua refeição diária, Arnett sugeriu que os enrolasse em bacon. A dieta básica para manter o físico funcionando bem foi de 6.000 calorias por dia para 9.000 calorias.

LEIA MAIS:
Primeiro dia de jogos da pré-temporada da NFL agitou a quinta-feira; confira
Jogador da NFL trabalha como motorista Uber antes do início da temporada

Para complementar as refeições, foram adicionados purê de batata doce, peixes, mais massas, azeite e muitos abacates. Segundo o próprio Watt, ele se utiliza de 50 fatias de bacon, 20 peitos de frango e 13 abacates inteiros. “Eu comecei a esmagar abacates”, contou o Defensive End.

Um fator que ajuda Watt em sua tarefa diária de consumir 9.000 calorias, é a amizade com o chefe local Ronnie Killen, dono do Killen’s Barbecue, considerado um dos melhores do ramo nos EUA.

“Literalmente, se eu não estou trabalhando, eu estou comendo”, disse o jogador dos Texans. “É cansativo. Você tem que forçar a alimentação. Você tem que forçar-se a comer”, completa.

Certamente, os Wide Receivers pensarão duas vezes antes de encararem o tackle de um jogador de 130 quilos, que não se satisfaz com pouca coisa.

Crédito da foto: USA Today.

 



Estudante de Jornalismo na Universidade São Judas Tadeu. Amante do futebol, apaixonado por futebol americano e interessado pela antropologia esportiva.