Anderson Silva é suspenso e só poderá lutar novamente em fevereiro

Getty Images

Anderson Silva conheceu nesta quinta-feira (13) a pena pelo flagra em exames antidoping antes e depois do UFC 183, dia 31 de janeiro. Na ocasião, ele venceu o americano Nick Diaz em seu retorno ao octógono. Ouvido ontem pela Comissão Atlética de Nevada, nos Estados Unidos, o Aranha foi suspenso por um anoe e só poderá lutar novamente em fevereiro de 2016.

LEIA MAIS:
Anderson Silva se irrita com perguntas sobre uso de “viagra”


Anderson Silva foi suspenso por um ano. Como lutou no dia 31 de janeiro, o período vai até 31 de janeiro de 2016. A partir do dia 1º de fevereiro ele está liberado para lutar novamente. Pelo fato de já ter 40 anos, o futuro do ex-campeão dos pesos médios do UFC fica indefinido. Se voltar a lutar, terá de apresentar um novo exame antidoping.

Essa não foi a única punição sofrida por Anderson. Além do tempo proibido para lutar, Anderson Silva foi multado em 30% da bolsa de US$ 600 mil que recebeu pelo combate. O bônus de US$ 200 mil pela vitória também foi retido. Além disso, o resultado foi transformado de vitória para “no-contest”. Agora, oficialmente, Anderson Silva tem 33 vitórias, seis derrotas e um “no-contest” no cartel.

O caso – Anderson Silva foi flagrado em exames antidoping realizados antes e depois de seu retorno ao UFC, em janeiro deste ano. O ex-campeão dos médios (84kg) lutou contra o americano Nick Diaz no UFC 183, dia 31 de janeiro. Mas resultados de testes colocaram a carreira de um dos maiores lutadores brasileiros de MMA em xeque.

Em um exame surpresa realizado em 9 de janeiro, foram encontradas no corpo de Anderson Silva as substâncias drostanolona e androsterona. Depois, testes feitos no dia 31 – dia da luta – revelaram que o brasileiro tinha ingerido as substâncias drostanolona, temazepan e oxazepan (os dois últimos, ansiolíticos).

Recentemente, veio à tona que Anderson Silva teria utilizado um medicamento para melhora de performance sexual. Em nenhum momento, o lutador e sua equipe admitiu o uso consciente de substâncias proibidas e o doping teria ocorrido por contaminação de suplementos.

Contudo, Anderson Silva admitiu que tomou remédios para ansiede às vésperas da luta por causa de insônia. “Na noite depois da pesagem, fui p o quarto e senti um pouco de dor nas costas, também não conseguia dormir”, disse. “E quando estava no Brasil, tive uma crise no ciático e fiquei uma noite no hospital. Esse foi um dos remédios que o médico me prescreveu para a dor”, completou Anderson.

Crédito da foto: Getty Images



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.