Anderson Silva: apenas mais um no Pride

Reprodução/YouTube

Anderson Silva não brilhou enquanto lutou no Pride, e foi apenas um coadjuvante na competição. O brasileiro disputou 5 lutas no evento: três vitórias e duas derrotas.

Anderson Silva é considerado por alguns o maior lutador da história do UFC, mas não apresentou todo seu talento na época do Pride. O Spider não enfrentou adversários considerados fortes, tirando o canadense Carlos Newton, mas não teve ótimos resultados. Foram três vitórias e duas derrotas entre 2002 e 2004.

A primeira luta do brasileiro na competição aconteceu em junho de 2002, contra o americano Alex Stiebling. Anderson venceu a luta por nocaute técnico em apenas 1 minuto. Nas duas lutas seguintes, Anderson voltou a vencer e começou a esboçar um crescimento na competição. Alexander Otsuka e Carlos Newton, ex-campeão do UFC, foram as vitimas do brasileiro.

Após três resultados positivos, Anderson foi finalizado pelo japonês Taiju Takase, e perdeu sua invencibilidade no Pride. Anderson ficou fora do Pride por um ano, lutando em outras organizações, mas voltou um ano depois da sua primeira derrota para enfrentar Ryo Chonan. O brasileiro acabou sendo finalizado de uma maneira espetacular pelo japonês. Veja a finalização:

A luta contra Chonan foi a última de Anderson no Pride, mas o brasileiro unificou os cinturões peso médio do UFC e do Pride após vencer Dan Henderson em 2008.

Crédito da foto: Getty Images



Apaixonado por futebol, futebol americano, tênis, F1, mma e boxe.