Seleção feminina de basquete deixa escapar o bronze para Cuba e finaliza o Pan em 4°

Seleção feminina de basquete deixar escapar o bronze para Cuba e finaliza o Pan em 4° - Foto: Divulgação CBB

Nem ouro, nem prata e nem bronze. A seleção feminina de basquete acabou na 4ª colocação no Pan-Americano de Toronto. Depois de vencer das atuais campeãs do Pan-2011 e da República Dominica e ser atropeladas pelo Canadá nas semifinais, foi a vez de Cuba acabar com o sonho de medalha das brasileiras, que perderam, de 66 a 62, nessa segunda-feira (20).

LEIA MAIS
Prestes a estrear no Pan, armador da seleção brasileira fala sobre vida dupla de jogador e cantor
Saiba tudo sobre as seleções brasileiras de basquete no Pan de Toronto
 

O jogo foi equilibrado do começo ao fim. Mas, nem as bolas de três pontos da jogadora Tássia, a agilidade de Débora, nem o brilhantismo da jovem armadora Tainá (de 23 anos) e nem a experiência de Kelly foram suficientes para derrotar as cubanas. As adversárias contaram com as fortes e certeiras infiltradas da armadora Casanova e do um contra um no garrafão de Clenia Noblet (16 pontos e 13 rebotes), que se sobressaíram nos minutos finais de jogo. Detalhe que a jogadora cubana Noblet, de 28 anos, 97 kg e 1,84 de altura defenderá o Maranhão na Liga Feminina de Basquete (LBF) nos próximos meses.

O jogo
Tanto as brasileiras quanto as cubanas tiveram o jogo nas mãos. O Brasil começou melhor e concluiu o primeiro quarto na frente com o placar de 16 a 14. Mas, nos dez minutos seguintes, as cubanas trataram de apertar a marcação e impediram o Brasil de impor seu ritmo e desenvolver suas jogadas. Resultado: virada das adversárias, que foram para o intervalo com a vantagem de cinco pontos.

A partida ainda não estava perdida. E as comandadas por Zanon sabiam que ainda tinham 20 minutos para tornar um sonho realidade. Elas foram para cima com a esperança de levar uma medalha para casa. No 3° quarto, o Brasil foi melhor e fez 16 a 12 nos dez minutos em quadra e diminuiu a distância para um pontos de diferença.

Os dez minutos finais foram dramáticos. As brasileiras lideradas por Tainá mantiveram o bom rendimento e marcação, até faltar 3 minutos para acabar o jogo. Foi ai que o Brasil caiu e ficou mais de dois minutos sem marcar nenhum ponto se quer. Bom para Cuba que abriu a vantagem para cinco pontos. Mas, brasileiro que é brasileiro não desiste nunca e foi isso que aconteceu. As jogadoras lutaram até o final, diminuindo o placar para dois pontos de diferença, faltando um pouco mais de um minuto para o fim do jogo.

Uma situação poderia ter mudado completamente o final, se os juízes não tivessem errado. Em uma jogada clara, uma das atletas de Cuba pisou fora da quadra ao ser marcada por duas brasileiras. Mas, a arbitragem não viu e continuou o lance, que acabou com falta e dois pontos para as cubanas. E, com o placar de 66 a 62, Cuba ficou com o bronze e o Brasil se despediu do Pan-Americano sem medalhas, diferentemente da última edição quando levou o bronze.

A disputa da medalha de ouro acontece nessa segunda-feira (20), às 21h45, entre Estados Unidos e Canadá.

Mas, os trabalhos das brasileiras não acaba por ai. Em agosto, a seleção terá outro grande desafio: o Pré-Olímpico. Como a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) ainda não pagou toda a dívida para a FIBA, o Brasil ainda não tem as vagas diretas confirmadas para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiros. Vale ficar de olho nesse Pré-Olímpico.

Foto: Divulgação CBB



Jornalista pós-graduada em jornalismo esportivo e apaixonada pelo basquete desde os 11 anos de idade, independente do campeonato e da nacionalidade.