Presidente do Santos afirma: “Eu gostaria de jogar mais vezes no Pacaembu”

(Foto: Divulgação Santos FC)

Em entrevista ao programa Bate-Bola do canal ESPN Brasil, na terça-feira (21/07), o presidente do Santos, Modesto Roma Jr., afirmou que o seu desejo era de que o jogo entre Santos e Joinville, que será realiza na manhã deste domingo, na Vila Belmiro, fosse realizado no estádio no estádio municipal Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu. Segundo o presidente do clube santista, a ideia da diretoria era promover um jogo com grande público na capital paulista, aproveitando o horário alternativo, mas o comando da Polícia Militar teria vetado a possibilidade.

LEIA MAIS

Santos x Joinville: Contra o lanterna do campeonato, Santos precisa ser eficiente

Financeiro x oportunidades: como o Santos pode explorar a capacidade de consumo de sua torcida

 Opinião: Os limites da Vila Belmiro atrapalham na arrecadação do Santos

A partida entre São Paulo e Cruzeiro, às 16 horas, no Morumbi, teria sido o motivo alegado pelo Comando da Polícia Militar para o veto. De acordo com o presidente santista a Polícia Militar não concordaria com a realização de dois jogos em uma mesma data, o que inviabilizaria algumas alterações de programação.  “Nós tínhamos uma programação de fazer cinco jogos nas arenas (da Copa do Mundo), três jogos no Pacaembu e onze jogos na Vila Belmiro nesse campeonato brasileiro.”, declarou. Modesto Roma Jr. revelou ainda que negocia  a realização do jogo entre Santos e Vasco, pela 18ª rodada, no Pacaembu.

Apesar de destacar que há um pedido da comissão técnica para a manutenção dos jogos como mandante na Vila Belmiro, o presidente santista mostrou entusiasmo sobre a realização de jogos no Pacaembu. “Eu gosto muito de jogar no Pacaembu. Eu acho jogar no Pacaembu fantástico. Eu gostaria de jogar mais vezes, aqui em São Paulo, no Pacaembu.” Sobre a dificuldade nas negociações com o Comando geral da Polícia Militar, Modesto Roma Jr. aproveitou para fazer uma reivindicação: “Eu gostaria de fazer um apelo ao secretário, ao Comandante Geral da Polícia, que como você (se referindo ao apresentador João Carlos Albuquerque) e como eu é um santista, para que se entenda a possibilidade de se fazer mais um jogo em São Paulo (sobre dois jogos em uma mesma data). Ora, o jogo do Santos seria às 11h00 (contra o Joinville) e o do São Paulo às 16h00, um no Pacaembu, outro no Morumbi. Eu acho que nós devemos ter, no mínimo, civilidade para podemos ter duas torcidas andando pela cidade. Eu gostaria que a Polícia Militar revisse essa posição.”.

Enquanto as negociações não avançam, os números compilados até a 14ª rodada, mostram que o Santos não vai bem tanto em público, como em renda.

(Fonte: Footstats (1ª-14ª rodada)
(Fonte: Footstats (1ª-14ª rodada)
(Fonte: Footstats (1ª-14ª rodada)
(Fonte: Footstats (1ª-14ª rodada)

Repensar a programação do Campeonato Brasileiro e ampliar a discussão com o Comando da Polícia Militar, parece uma preocupação emergencial para o clube que passa por uma série crise financeira.