Presidente do Atlético-MG fala em estádio próprio, reforços e Levir Culpi

Foto: Bruno Cantini/Atletico MG

Líder isolado do Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG enfrenta na próxima quarta (29) o São Paulo no Mineirão. O mando de campo e a expectativa do clube para o segundo semestre, assim como interesse em nomes como o atacante Erik, do Goiás, foram alguns fatores abordados pelo presidente Daniel Nepomuceno durante entrevista ao programa “Bate Bola”, da ESPN Brasil.

LEIA MAIS:
Pelo Twitter, presidente do Atlético-MG anuncia renovação do goleiro Victor por quatro anos
São Paulo domina aproveitamento em pontos corridos no Brasileirão; veja

“Como emprestamos o André (Sport-PE) e o Jô (Al-Shabab/EAU) foi negociado há uma carência para esta posição, alguém que possa ajudar no ataque. Você precisa ficar atento ao mercado. É evidente que desperta curiosidade, principalmente quando envolve um jogador do nivel técnico do Erik”, comentou Daniel Nepomuceno, referindo-se ao atacante de 21 anos revelado pelo Goiás.

“O mais importante é não perder ninguém e tentar um atleta que esteja solto no mercado para a gente trazer”, declarou Daniel Nepomuceno. De acordo com o mandatário atleticano, a decisão sobre contratações é conversada entre ele, o técnico Levir Culpi e o diretor de futebol Eduardo Maluf.

Até o momento, o Atlético-MG perdeu apenas um jogador durante este período, o atacante Maicosuel, que foi jogar no Al-Sharjah, dos Emirados Árabes. “Ele não era titular absoluto e aconteceu esta proposta, mas é um empréstimo, ou seja, o jogador continua como patrimônio do clube”, explicou o presidente. “A janela é um fantasma mas se Deus quiser vai passar rápido. Tira várias horas de sono, você torce para não receber proposta”, acrescentou ele, bem-humorado.

A permanência da comissão técnica também é uma das prioridades da diretoria. “Nenhum presidente quer trocar de técnico toda hora. E o Levir Culpi é um cara tranquilo, não pede ninguém”, elogiou Daniel Nepomuceno. Esta é a quarta passagem do treinador de 62 anos pelo clube mineiro. Desde a chegada dele, em abril de 2014, o time conquistou a Copa do Brasil, Recopa e o Campeonato Mineiro.

“Hoje o Independência é a nossa casa, mas todo clube grande precisa ter um estádio próprio”, concluiu Daniel Nepomuceno ao ser questionado sobre o fato de o Atlético-MG decidir sobre jogar no Mineirão ou Independência. “Basicamente o que define é a expectativa de público”, finalizou.

(Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)