Pela terceira vez na história, Libertadores será decidida entre equipes do mesmo grupo

Reprodução/Facebook

A grande finalíssima da Copa Libertadores da América ocorrerá já na próxima semana e vai colocar frente a frente River Plate (ARG) e Tigres (MEX). Na quarta-feira que vem (29), as duas equipes vão se reencontrar na competição, só que desta vez quem vencer leva a taça para casa.

LEIA MAIS
Capitão do Tigres, brasileiro sonha com título inédito da Libertadores
Ausência de brasileiro na final da Libertadores quebra série que durava 23 anos

O duelo já aconteceu anteriormente na fase de grupos e não é a primeira vez que isso acontece na história do torneio.

Desde 2000, quando a Libertadores passou a ser disputada por 32 equipes divididas em oito grupos de quatro times, essa será a terceira vez em que a disputa da competição irá marcar confrontos que ocorreram na fase de grupos. Nas outras duas oportunidades, equipes brasileiras estavam envolvidas.

No ano de 2008, Fluminense e LDU (EQU) disputaram a final do campeonato, com os equatorianos sagrando-se campeões pela primeira vez. Os dois confrontos da final se tornaram marcantes pelos grandes jogos que foram. Em Quito, a LDU aplicou uma goleada por 4 a 2 no primeiro jogo da disputa. Na volta, com três gols de Thiago Neves, o Fluminense venceu por 3 a 1 e levou a disputa para as penalidades, onde o time comandado por Guerrón e Bolaños levantou o troféu.

No entanto, poucos se lembram que na mesma competição as duas equipes duelaram na fase de grupos. Participantes do grupo 8 daquela Libertadores, Fluminense e LDU se enfrentaram por duas vezes em confrontos sem o mesmo brilho da final. Na partida válida pela primeira rodada, no estádio Casa Blanca, os dois times amargaram um empate por 0 a 0. No duelo que fechou o grupo, o Tricolor carioca bateu os equatorianos por 1 a 0, gol de Cícero, no Maracanã. Ao final da fase de grupos, o Flu se classificou em 1º com treze pontos enquanto a LDU ficou em 2 º com dez.

Outro duelo que marcou o encontro entre duas equipes da fase de grupos aconteceu no ano seguinte. Em 2009, Cruzeiro e Estudiantes (ARG) decidiram a competição, com os argentinos levando a taça. Após empatarem em casa por 0 a 0, a equipe comandada por Verón venceu no Mineirão de virada por 2 a 1 e deixou os mineiros com o vice-campeonato.

Na fase de grupos, as duas equipes caíram no grupo 5, junto de Deportivo Quito (EQU) e Universitário Sucre (BOL). Os duelos pela segunda fase do torneio ficaram marcados por grandes goleadas. Na primeira rodada, no Mineirão, O Cruzeiro sapecou um 3 a 0 pra cima do Estudiantes em Belo Horizonte, na estreia de Kléber, que marcou duas vezes. Já na penúltima rodada do grupo, os argentinos enfiaram 4 a 0 pra cima do Cruzeiro no Ciudad de la Plata. Ao final, os brasileiros se classificaram em primeiro do grupo com treze pontos e o argentinos vieram em segundo com dez.

A situação volta a ocorrer agora em 2015, desta vez com River e Tigres. Nos duelos pelo grupo 6, dois empates. No Monumental de Nuñez, o empate foi por 1 a 1, já em Monterrey, o placar ficou em 2 a 2. Curiosamente, na última rodada, o River dependia de uma vitória do Tigres para avançar de fase, e ela ocorreu. A vitória por 5 a 4 sobre o Juan Aurich (PER) colocou os Millonarios na fase de mata-mata.

O retrospecto mostra que sempre a equipe que se classificou em segundo lugar no grupo, e consequentemente joga a segunda partida fora de casa – LDU e Estudiantes ganharam nessas condições –, leva o título de campeão. Resta ao Tigres quebrar essa escrita, derrotar o algoz que ele enfrentou e ajudou a classificar, além de conquistar pela primeira vez a taça da Libertadores, que seria inédita para um clube mexicano.  Já o River joga com o retrospecto debaixo do braço, e após dezenove anos fora de uma final de Libertadores, levantar o seu terceiro título na história.

Crédito da foto: Reprodução/Facebook



Jornalista em formação pela PUC-SP. Devoto da maior invenção criada pelo homem na história da humanidade: o futebol