Pan: Brasil conquista o ouro por equipes na Ginástica Rítmica

Pela quinta edição consecutiva dos Jogos Pan-Americanos, o Brasil sai com a medalha de ouro na apresentação por equipes da Ginástica Rítmica. Na tarde deste sábado (18), o time das atletas Dayane Amaral, Emanuelle Lima, Jessica Sayonara Maier, Beatriz Pomini e Ana Paula Ribeiro obteve 30.233 no somatório geral, garantindo o pentacampeonato Pan-Americano na prova. Os Estados Unidos ficaram com a prata, enquanto o bronze ficou com Cuba.

LEIA MAIS:
Revelação da natação brasileira vai disputar final do Pan na véspera de completar 17 anos

A apresentação, considerada a melhor entre os juízes, das brasileiras nesta tarde foi feita com um remix de diversas músicas do País: Durante a exibição, foram tocadas “Mas que Nada”, “Tico-Tico no Fubá”, “Alegria Olodum”, “Brasileirinho” e um trecho do Hino Nacional Brasileiro.

A conquista da medalha de ouro na apresentação por equipes começou ainda na sexta-feira, quando o Brasil – que contou com Regina Morgana Gmach na exibição – marcou 14.800 nas cinco fitas, primeiro aparelho da prova, contra 14.600 das americanas. A confirmação da vitória veio neste sábado, com o 15.433 obtido no misto, prova com seis maçãs e dois arcos. O time dos Estados Unidos fizeram apenas 14.800.

“Nossa, é maravilhoso, a primeira vez não tem nem como explicar, ganhar essa medalha linda, maravilhosa, estou muito feliz. Sempre temos duas séries nessa competição, cinco fitas e misto de arco e maças. Na segunda, fomos com as músicas brasileiras que todo mundo gosta muito. O público torceu com a gente e parecia que estávamos em casa”, disse Emanuelle Lima, atleta de 19 anos, em entrevista ao site “Globo Esporte”.

Medalha escapa no individual geral, mas Brasil está na disputa por aparelhos

Além do ouro por equipes, o Brasil esteve muito próximo de conquistar mais uma medalha no Individual Geral. Angélica Kvieczynski ficou com a quarta colocação, ao marcar 60.399 ao final da prova. Um pedido de revisão no resultado das eliminatórias – que é considerado na final – diminuiu a nota da brasileira de 15.475 para 15.100, e essa diferença fez falta hoje, pois Angélica ficou a 0.224 da medalhista de bronze Patricia Bezzoubenko.

Apesar de perder a medalha no individual geral, Angélica disputará todos os aparelhos, enquanto Natália Gaudio, que ficou com o oitavo lugar no individual geral, ficou fora da final apenas na bola. As definições das medalhas acontecem neste domingo, a partir das 11h.

Foto: Ricardo Bufolin/CBG



Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.