Briga de galo: há 16 anos, Ituano e Paulista de Jundiaí disputavam um título; relembre

Galo
Foto: Reprodução/Facebook

Em dia de clássico no interior de São Paulo, as ruas das cidades de Itu e Jundiaí amanhecem iguais. Estão cobertas por bandeiras e camisas coloridas que percorrem esquina por esquina. É dia de briga de galo. Não é uma tarefa tão fácil para a equipe visitante que percorrerá uma distância de aproximadamente 55 km até chegar ao estádio da partida, mas, vale o esforço. A torcida local chega ao estádio em poucos minutos seja a pé, de carro, de bicicleta, ou até de mesmo de carroça.

Há exatamente 16 anos atrás, as duas equipes disputaram um título pela primeira vez na história. O troféu era a Copa Estado de São Paulo de 1999. Essa competição é conhecida hoje como Copa Paulista. O Etti Jundiaí, ou melhor, o Paulista de Jundiaí aderiu esse nome na época por conta de um patrocinador.

Quem levantou o caneco na ocasião foi o tricolor jundiaiense que conquistou um bom resultado no primeiro jogo fora de casa. O placar em Itu foi de 2×1. Já no segundo jogo, apenas administrou a vantagem e ficou em um magro 0x0, mas com o troféu.

O confronto entre os clubes ganhou esse apelido devido ambas às equipes possuírem um galo como mascote do clube. Mas se engana quem acredita que seja apenas por esse motivo. Os jogos entre as duas equipes são sempre bem disputados.

Curiosidades

Muitos não sabem ou nem imaginam que o arqueiro, Victor, teve passagem pelos dois clubes antes mesmo de alavancar sua carreira no Grêmio e no próprio Atlético Mineiro até chegar a Seleção Brasileira.

Os dois estádios comportam praticamente a mesma quantidade. O Estádio Novelli Júnior (Ituano) tem capacidade para 16 mil lugares. Já o Estádio Doutor Jayme Cintra (Paulista Jundiaí) comporta aproximadamente 15 mil pessoas. São praticamente do mesmo tamanho da Vila Belmiro (Santos).

Foto: Reprodução/Facebook



Caique Cobra é um jovem recém-formado em jornalismo pela FIAM FAAM que almeja atuar em uma grande empresa voltada ao mundo esportivo. Ele não esconde sua paixão em produzir conteúdo, principalmente, em seu blog pessoal. Seus textos são embasados por dentro de: análises, críticas e opiniões com um olhar meramente desmistificado.