Neto detona atual geração do futebol brasileiro: “nenhum amarra meu tênis”

Reprodução/ESPN

Em participação no programa Resenha ESPN, o ex-jogador Neto criticou bastante a atual geração do futebol brasileiro e comparou o nível atual dos atletas com os de sua época. Acompanhado de Sorín, ex-lateral da seleção argentina, e de Alex e Raí, que fizeram sucesso como meio-campistas, o comentarista da Rede Bandeirantes chegou a dizer que nenhum jogador chega aos pés dos quatro que compuseram a “bancada”.

LEIA TAMBÉM:
Neto detona Ganso ao vivo: “Pra jogar o que o ele joga, eu jogo no Máster”

O Raí sempre foi (atleta) nota 8,5. Hoje, como comentarista, penso assim né. Você sempre foi nota 8,5 pela liderança e por tudo que você conquistou. Eu já conversei várias vezes com o Raí e fico bravo porque, muitas vezes, as pessoas começam a comparar o Sócrates (…) com o Raí. Os caras pensam que o Raí não jogou nada, e são uma cambada de babaca. Porque o Raí jogou muito, mas muito“, começou Neto.

Em seguida, o ex-craque do Corinthians citou Alex e Sorín para continuar sua tese de que o futebol brasileiro de hoje não revela tantos bons jogadores como no passado.

E o Alex? Aqueles que falavam que ele era ‘Lexotan’, eu queria saber o que são os jogadores de hoje, entendeu? Aqueles que falavam que eu só batia falta… eu queria saber quem bate falta hoje. O Sorín foi um lateral polivalente, um dos melhores do mundo…Mas se a gente for fazer uma comparação de nós quatro, que somos ex-jogadores, com o futebol de hoje, nenhum jogador serve pra amarrar o meu tênis, o do Sorín, o do Raí e do Alex“.

A participação de Neto no programa do apresentador Rodrigo Rodrigues rendeu vários assuntos, entre eles a opinião se o jogador poder beber ou não depois das partidas, além da discussão sobre as mudanças no preparo físico da “velha guarda” em relação a hoje. Você pode acompanhar na íntegra o programa nesse link.

Curtiu a matéria? Siga o autor no Twitter: @fontes_matheus.
Facebook: Matheus Martins Fontes.

Fotos: Reprodução/ESPN



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.