Jobson revela racismo de policiais e pede segunda chance: “Estão tirando leite do meu filho”

Jobson

O atacante Jobson, suspenso pela Fifa por quatro anos longe dos gramados, concedeu uma entrevista ao programa ‘Esporte Espetacular’, neste domingo, e contou sobre o último episódio polêmico em que se envolveu. O jogador ficou preso por duas noites após ser flagrado dirigindo embriagado.

LEIA MAIS:
Opinião: O crime que a Fifa está cometendo com Jobson

Durante a entrevista, Jobson revelou que foi agredido e humilhado pelos políciais. “Eu fui surpreendido por dois soldados que me agrediram no rosto, e eu não tive nem reação. Me arrastaram e ficaram pisando na minha cabeça, me algemaram e me levaram como bandido mesmo”.

“Foi tortura, foi racismo, foi tudo o que eles falaram: seu neguinho, agora eu vou te pegar, falei que ia te pegar”, disse o atacante.

Jobson ainda lamentou a punição da Fifa. “O ano de 2015 vai ficar para sempre marcado para mim. Espero que a Fifa possa reduzir a minha pena, possa me ver como humano. O que eles estão fazendo é tirar o que mais gosto de fazer, que é jogar futebol. Tirando até leite do meu filho”.

O advogado Bichara Neto, responsável pela defesa do jogador, revelou que o clube trabalha para reverter a decisão. “Não sabemos precisar em quanto tempo isso vai acontecer. Mas achamos que vamos, mais cedo ou mais tarde, conseguir rever essa decisão injusta da federação saudita. O Jobson hoje está desempregado, sem salários e sem recursos para pagar as custas desse procedimento”.

 

Foto: Reprodução/TV Globo