Hoje campeão no UFC, Rafael dos Anjos “penou” no seu início dentro do evento

Quando o gongo soou o fim do quinto round do evento principal no UFC 185, realizado no último dia 14 de março, o mundo do MMA percebeu que ali se mostrava o resultado de uma franca evolução do brasileiro Rafael dos Anjos.

Total azarão diante do “Showtime” Anthony Pettis, o carioca mostrou um domínio convincente e até certo ponto assombroso nos aspectos físico, técnico e estratégico diante de um atleta que, para muitos, tinha potencial para permanecer por um bom tempo de posse do cinturão dos Leves, que agora pertence ao brazuca.

Mas a vida de Rafael está longe de ter sido eternamente um mar de rosas apenas dentro do Ultimate.

Aliás, por muito pouco, o atual detentor do cinturão não acabou “passando no RH” do evento, já que seu começo na organização foi bem decepcionante no sentido de resultados: Duas derrotas nos dois primeiros compromissos.

O atleta de hoje 30 anos de idade vinha com uma carreira sólida e de ascensão, com 11 vitórias e apenas duas derrotas mesmo lutando em eventos de renome nacional (Fury FC e Shooto) e também internacional (Pancrase). Logo, a expectativa era de um lutador muito melhor preparado, principalmente na força de sua trocação, do que se viu nos duelos contra Jeremy Stephens e Tyson Griffin.

No longínquo UFC 91, que tinha como evento principal o combate dos Pesados Randy Couture e Brock Lesnar, o brasileiro duelou contra Stephens e deixou absolutamente claro como era defasada a sua capacidade de boxear. Apesar da grande resistência imposta ao norte-americano, bastou uma desatenção de Dos Anjos para um upper certeiro atingir em cheio o queixo do atual campeão dos Leves, levando-o a nocaute no terceiro round.

Já no ano de 2009, mais precisamente em abril, o Ultimate colocou Rafael no card principal diante de Tyson Griffin no UFC Fight Night 18, evento que tinha como luta de maior destaque o embate entre Carlos Condit e Martin Kampmann. E o cenário já dava uma luz no fim do túnel para o brasileiro.

Fazendo uma verdadeira batalha campal diante de Griffin, com o benefício de ter lesionado o joelho de seu adversário ainda no primeiro assalto, com uma tentativa de finalização, mais uma vez a parte em pé pesou contra o atual campeão. Os chutes e golpes duros mesmo com a perna machucada do norte-americano acabaram pesando muito na pontuação e colocando mais um revés no cartel profissional de Rafael dos Anjos.



Jornalista formado em 2012 pela FIAM e que tem paixão por esportes, destacando-se Futebol, MMA, Basquete e Automobilismo. Foi editor e repórter do Universo dos Sports.