Veja como o Flamengo pode jogar com a chegada de Ederson

Flamengo
Gilvan de Souza / Flamengo

O Flamengo está no Campeonato Brasileiro de 2015 na parte de baixo da tabela,no início sem algum horizonte para se inspirar e com a demissão de Vanderlei Luxemburgo, o time parecia mesmo que mais um ano difícil estava por vir.

LEIA TAMBÉM:
Enquete: Quem deve ir para o banco com a chegada de Ederson no Flamengo?
Veja as opções táticas que o Flamengo pode ter em campo com Ederson
Guerrero critica Corinthians por falta de interesse em sua renovação
Fernanda Gentil mostra gingado e se solta ao vivo com funk de Guerrero

Ainda não escapou de vez da degola,mais as chegadas de reforços como Paolo Guerrero,Emerson Sheik e agora o meia Ederson vindo do Lázio da Itália deram um ânimo na equipe e vitória importantes vieram trazendo a esperança como os 2 x 1 sobre o Internacional no Beira-Rio e o 1 x 0 sobre o Grêmio no Maracanã ambos com gols do Guerrero e participações de Sheik e cia.

Ederson não tem data para estrear, ainda está na Itália resolvendo sua mudança ao Rio de Janeiro e se apresentar ao Rubro-Negro Carioca, mas tem uma data que possa ser sua estréia que é o dia 9 de agosto, na partida diante da Ponte Preta em Campinas, mas nada certo e confirmado pela diretoria do Flamengo.

O Flamengo ganhou não só a esperança de dias melhores com os reforços, mas também ganhou variações táticas, veja:

Antes o time jogava no 4-3-3 com,três volantes e três atacantes, deixando um buraco na parte da criação, geralmente era formado com Paulo Victor(César), Ayrton, Wallace, Marcelo e Jorge, Cáceres(Jonas), Canteros e Marcio Araújo, Sheik, Guerrero e Éverton, as vezes trocava o Márcio Araújo pelo Alan Patrick e deixando ele sozinho nessa parte da criação.

Agora com o Ederson poderá jogar com apenas dois volantes num 4-4-2 clássico, ou com o Sheik numa ponta e o Éverton na outra e o Ederson armando, ficaria com Paulo Victor (César), Ayrton, Wallace, Marcelo (Samir ou César Martins), Jorge (Armero), Canteros, Cáceres (Márcio Araújo), Ederson, Éverton, Sheik e Guerrero, tendo essas variações e trocas de acordo com o elenco que o time possui.

O fato é que Cristóvão Borges agora tem em mãos, não um time espetacular, mas também não é um time ruim. Se for bem trabalhado e esquematizado poderá render e dar bons frutos a longo prazo, já que sabemos que o calendário brasileiro não permite muito o trabalho dos técnicos, porém, no mínimo um time competitivo o Flamengo tem condições de ter.

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo



Sou um apaixonado por esportes,em maior destaque futebol e basquete,procuro adquirir sempre conhecimentos sobre vários assuntos e em maior ênfase o esporte e busco sempre mesmo sem formação em jornalismo obter conhecimento no meu trabalho e auxiliar os leitores.