Erazo comemora sucesso no Grêmio e explica má fase no Flamengo

FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Sem o capitão Rhodolfo, negociado com Besiktas, da Turquia, o técnico do Grêmio Roger Machado escalou o equatoriano Frickson Erazo no time titular. O tricolor gaúcho está em sexto lugar no Campeonato Brasileiro e se classificou para as oitavas de final da Copa do Brasil.

LEIA MAIS:
Novo camisa 13 do Grêmio, Bobô acredita que possa ter condições de jogar o Gre-Nal
Sucesso de Guerrero faz Adidas lançar camisa do Flamengo no Peru
O início promissor de Pedro Rocha como profissional do Grêmio

“Quando cheguei em Porto Alegre sabia que precisava dar a volta por cima após um passado ruim que tive no Flamengo. Estou com mais oportunidade, tentando ganhar meu espaço e agora que as coisas estão dando certo preciso transmitir confiança ao treinador, aos companheiros e à torcida”, comentou o equatoriano durante participação ao “Bate-Bola”, da ESPN Brasil.

Mesmo em baixa no Flamengo, o zagueiro garante que recebeu ofertas para sair do Brasil. “Tinha propostas do Chile, da Argentina e da Espanha, mas quis ficar para mostrar meu potencial. Entendi que precisava mudar o comportamento e o jeito de treinar para ter sucesso no futebol brasileiro”, acrescentou.

Erazo sofreu com a adaptação ao estilo de jogo no Brasil e reconhece a má fase no rubro-negro carioca. “Aqui no futebol brasileiro tem jogadores de muita qualidade e há muita pressão, você faz um jogo ruim e a torcida já fica no seu pé. Eu não conseguia me entender com o meu companheiro de zaga, e durante o jogo você tem que conversar bastante para evitar os gols. Então tive que botar a cabeça no lugar, aprendi a enxergar o futebol de uma maneira diferente e trabalhar com humildade”, continuou.

Titular do Equador na Copa do Mundo do Brasil, Erazo chegou ao Brasil no início de 2014. “Para um estrangeiro é difícil se adaptar ao futebol brasileiro. Cheguei a ficar dois meses sem ver minha família, também tem o idioma e desde o primeiro jogo não fui bem, o Flamengo perdeu. Mesmo assim tenho boas lembranças, principalmente com os garotos da base e do pessoal que trabalhava no clube”, concluiu o jogador, que está com 27 anos.

(FOTO: LUCAS UEBEL/GRÊMIO FBPA)