Entenda a logística dos pneus para o GP da Hungria de Fórmula 1

BAHRAIN, BAHRAIN - FEBRUARY 20: Pirelli tyres are seen during day two of Formula One Winter Testing at the Bahrain International Circuit on February 20, 2014 in Bahrain, Bahrain. (Photo by Andrew Hone/Getty Images)

A escolha dos pneus da Pirelli para próxima corrida serão os modelos P Zero Branco Médio e P Zero Amarelo Macio. Eles farão parte do circuito nos dias 24 a 26 de julho, no GP da Hungria. Conhecido por ter uma pista com mais dificuldades e temperaturas exageradas, os pequenos notáveis dão destaque durante a corrida. Se forem definidos corretamente as equipes ganham uma grande possibilidade de concluir cada volta com mais precisão.

O desafio maior é a alta temperatura do ambiente que deve aumentar durante esses dias, ou mesmo com as possíveis chuvas como no ano passado – que deram força para á vitória da Red Bull. Daniel Ricciardo venceu em 2014 com com três pitstops. A Red Bull largou com pneus intermediários, mas diante da chuva a equipe optou em seguida pela troca por macios até final da prova.

O GP da Hungria ficou bem conhecida como “uma pista de kart gigante”, segundo um ex-piloto. Com isso, é possível imaginar a dimensão total das propriedades da pista. Com uma curva que logo desembanca em outra, e com apenas uma reta, sem muitas oportunidades no resfriamento dos pneus, os P zero Médio (que é um composto abaixo da gama de trabalho) estará constantemente no máximo da gama e, devem sofrer bem diante com o sistema climático e o aquecimento das pistas.

Para o diretor de esportes à motor da Pirelli, Paul Hembery, “vamos de Silverstone, um dos circuitos reais velozes e fluidos da F-1 para Hungaroring, que está entre os mais lentos, com sua série de curvas técnicas sem interrupção. É um grande desafio para piloto, o carro e os pneus, uma vez que todos trabalham duro o tempo todo. Fora a reta dos boxes, não há nenhuma outra folga no circuito. Um dos maiores desafios é o clima: pode fazer muito calor em Budapeste em julho e, obviamente, isso tem um efeito significativo na degradação térmica. Com objetivo de encontrar o equilíbrio ideal entre performance e durabilidade, selecionamos os pneus médios e macios, mesma escolha do ano passado. Essa seleção macia é suficiente para oferecer a aderência mecânica necessária para lidar com todas curvas e, ainda assim, dura o bastante para suportar traçados de Hungaroring e as condições climáticas severas do local.”

A diferença de tempo entre os pneus P Zero Amarelo e P Zero Branco é de 1,2 a 1,5 segundos por volta. Mas não são os únicos á comandar o grid e nem a briga das máquina. Os modelos, além de serem duros, necessitam de competência dos pilotos. Essa etapa da Fórmula 1 é uma das mais exigentes e comparada à Cingapura. Contendo uma pista estreita e sinuosa, as equipes passam a correr com mais pressão aerodinâmica máxima, para gerar a melhor aderência aos carros.

Crédito da foto: Getty Images



Paulista e Colunista. Já escrevi para Revista Voi – PR, The Music Journal Brazil – SP. Atualmente escrevo para o Portal StyleMag Brasil e Seven Days News.