Corinthians manteve técnico campeão e trouxe Edmundo para jogar em 1996

Reprodução/YouTube

Apesar de ter sido campeão paulista e da Copa do Brasil em 1995, o Corinthians não conseguiu repetir o bom desempenho no Campeonato Brasileiro daquele ano. O torneio foi vencido pelo Botafogo, enquanto o Santos ficou com o 2º lugar. Contudo, o ano e sobretudo o futuro do Corinthians esteve longe de ser algo perdido, principalmente para os principais personagens da conquista da primeira Copa do Brasil da história do clube.

O técnico Eduardo Amorim comandou o Corinthians nas conquistas do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil de 1995 e ficou até a Libertadores do ano seguinte. A sequência de dois títulos consecutivos quebrou um jejum de quatro anos sem conquistas.

O meio-campista Marcelinho Carioca balançou as redes em ambos os jogos da final da Copa do Brasil de 1995 – Viola e Luis Carlos Goiano marcaram os demais gols (2×1 no Pacaembu em e 0x1 no Olímpico). Este time do Corinthians revelou atletas como o lateral esquerdo Sylvinho e o zagueiro Cris.

A principal contratação do Corinthians para a Libertadores de 1996 foi o atacante Edmundo (foto), ex-Flamengo e Palmeiras. Além dele, nomes como Marcelinho Carioca, o goleiro Ronaldo e o zagueiro Célio Silva eram os principais destaques do time que disputou a competição continental. O volante Zé Elias e os meio-campistas Souza e Tupãzinho também estavam no elenco.

Por outro lado, o Flamengo contratou o atacante Marques, revelado pelo time do Parque São Jorge. No time carioca, formava um ataque ao lado de Bebeto, Romário e Sávio.

Ainda em 1995, o Grêmio se tornou campeão da Libertadores e foram vice-campeões mundiais. Os gremistas deram o troco na Libertadores de 96, quando eliminaram o alvinegro paulista nas quartas de final (3×0 e 0x1). O time gaúcho comandado por Luiz Felipe Scolari ganhou na época o apelido de “Esquadrão Imortal”.

Crédito da foto: Reprodução/Facebook