Opinião: Conselho de Dana White é bom para Barão no UFC?

Reprodução/YouTube

Após ver mais uma derrota do brasileiro Renan Barão para o norte-americano T.J. Dillashaw, o presidente do UFC, Dana White, aconselhou o ex-campeão dos galos (61kg) a pensar numa mudança de categoria. Para Dana, a exibição de Barão no último sábado (25) foi melhor do que a outra vez, mas a dificuldade de bater o peso (até 61kg) ficou novamente nítida.

Subir para o peso pena (até 65,8kg), no entanto, não parece ser um caminho ponderado por Barão (foto). Nem por ele, nem por muitos outros lutadores que resistem a uma troca de categoria – para baixo ou para cima. A seguir, o Torcedores.com relembra casos em que mudar de peso foi uma boa ou má escolha. A lista também inclui alguns destaques entre os resistentes à ideia de mudar de categoria.

 

Antony Johnson

Demitido do UFC em 2012, quando não conseguiu vencer a balança na véspera do combate contra o brasileiro Vitor Belfort, no UFC 142, válido pelo peso médio (84kg), Antony Johnson fez apenas uma luta entre os médios. Já fora do UFC, ele subiu para o meio-pesado (93kg) e se achou no MMA. Foram quatro vitórias consecutivas até o retorno ao Ultimate. No meio-pesado, bateu Phil Davis, Antonio Rogerio “Minotouro” Nogueira, Alexander Gustafsson, até perder para Daniel Cormier na luta pelo cinturão.

 

Lyoto Machida

A derrota para Phil Davis, em março de 2013, foi a gota d’água para o brasileiro Lyoto Machida. Então um dos tops do peso meio-pesado do UFC, ele decidiu descer de categoria e teve início animador. Nas duas primeiras lutas, um nocaute histórico sobre Mark Muñoz e um triunfo expressivo diante de Gegard Mousasi. O desempenho lhe rendeu uma nova disputa por cinturão, diante do norte-americano Chris Weidman. Ela, porém, não foi como o esperado e Lyoto perdeu por pontos. Desde então, o rendimento caiu consideravelmente. Venceu uma (C.B. Dollaway) e perdeu duas (Luke Rockhold e Yoel Romero).

 

Demian Maia

Há três anos, o brasileiro Demian Maia deixou o peso médio para tentar a sorte na categoria abaixo. A estreia nos pesos meio-médios do UFC (77kg) foi avassaladora: finalização aos 47 segundos em Dong Hyun Kim. Na nova categoria, tem cinco vitórias e duas derrotas.

 

Ben Henderson

No ano passado, o norte-americano Ben Henderson admitiu a possibilidade de trocar o peso leve (70kg) pelo meio-médio. Em janeiro de 2015, porém, a ideia foi refutada. Henderson disse gostar da categoria atual, mesmo reconhecendo que sofre para chegar ao peso ideal: “Baixar para 70kg definitivamente não é um processo divertido. Isso cobra um preço do seu corpo” – disse, em entrevista ao site “MMA Junkie”.

 

José Aldo

Desde 2012, o brasileiro José Aldo sofre pressão para subir de categoria. Sem um grande rival no peso pena – o falastrão McGregor aparece agora como uma alternativa –, Aldo já ouviu diversos apelos para subir de peso. Ele não perde uma luta desde 2005. Ainda assim, prefere sofrer para perder até 10kg durante o ciclo de uma luta a tentar a sorte na categoria de cima.

 

Vitor Belfort

Se existe um ponto fora desta curva é o brasileiro Vitor Belfort. Entre os lutadores mais experientes da atualidade, ele já foi campeão de duas categorias diferentes do UFC: pesado (120kg) e meio-pesado. Além disso, já disputou o cinturão dos médios, perdendo para o norte-americano Chris Weidman.

Crédito da foto: Reprodução/YouTube



Jornalista formado no UniCeub. Cobre esportes desde 2008: dos campeonatos amadores, evoluindo aos estaduais, chegando aos Nacionais até a Copa do Mundo de 2014. De 2010 a 2012 atuou como correspondente de esportes do Correio Braziliense, no Rio de Janeiro. Atualmente, editor do caderno Torcida, do Jornal de Brasília. Amante de um bom samba, futebol e cerveja.