Times brasileiros na Libertadores são sinônimos de alto investimento e retorno ruim

Júlio Baptista
Foto: Getty Images

Analisando os recentes resultados dos clubes brasileiros na Copa Libertadores da América, podemos perceber uma coisa: altos investimentos não são sinônimo de bons resultados.

Comecemos pelo São Paulo, o clube do Morumbi possui um plantel que beira os 180 milhões de reais, e mesmo assim, decepcionou e caiu na fase de oitavas de final da competição. O que dizer então do Cruzeiro, atual campeão Brasileiro, que caiu em casa para o River Plate nas quartas de final.

Tudo se resume à uma questão, os clubes não estão sabendo contratar. Todos os anos vemos os times brasileiros gastarem verdadeiros caminhões de dinheiro em jogadores, que muitas vezes se encontram encostados em clubes na Europa, ou até em alguns veteranos, como no caso de Julio Baptista, que veio ao Cruzeiro para ganhar um salário milionário, e pouco tem ajudado o time mineiro.

O que acontece é que os clubes têm muito dinheiro para investir, porém, não sabem fazer isso. Muitas vezes os dirigentes se preocupam muito mais em contratar um jogador de nome para agradar a torcida, do que investir em um bom jogador, de menos nome, e que pode render muito mais.

Os clubes brasileiros devem, antes de tudo, contratar de modo à não comprometer sua receita, em outras palavras, contratar bons jogadores, que caibam no orçamento do clube, e o mais importante, investir nas categorias de base, pois é de lá que vem os jogadores que podem render caixa para o clube, e que sobretudo, podem render muito resultado dentro de campo.

Um clube deve saber montar um plantel, de modo à não comprometer as suas receitas, e render resultado dentro de campo, o que acontece em times como o Tigres e o River, times que possuem elencos muito bem montados e que valem muito menos do que muitos dos gigantes brasileiros que já se encontram eliminados da competição.

O segredo para se montar um bom elenco, não são investimentos milionários, o segredo é saber buscar jogadores de qualidade, e sempre, investir nas categorias de base, que podem trazer muita receita para os clubes, em longo prazo.

Crédito da foto: Getty Images



Estudante de comunicações sociais, apaixonado por futebol, sempre procuro me manter informado, tanto assistindo programas relacionados à futebol na tv, quanto lendo sobre. Acompanho vários campeonatos de futebol pelo mundo, e também leio sobre vários clubes, do Brasil e da Europa. Já possuí dois blogs, um sobre a copa Libertadores, e outro sobre o Boca Juniors.