Minha “mesa redonda” ideal seria apresentada por um jornalista da ESPN Brasil

Os programas esportivos da TV brasileira estão cada vez mais saturados. E são vários os motivos. Os formatos se parecem, nem todos os apresentadores são bem preparados, muitos comentaristas não possuem um conhecimento aprofundado deste ou daquele esporte, e por aí vai.

Desta forma, a audiência acaba sendo bem dividida, uma vez que há muita troca de canal durante o período de exibição. Mas então o que fazer? Essa é uma questão complicada, afinal quem sou eu para questionar a permanência de determinados programas quando para o canal e patrocinadores não há o que mexer?

Mas como já tive o meu próprio programa há um tempo, faria novamente em um formato com certa similaridade dos atuais, porém com alguns diferenciais, a fim de agradar a todos.

A minha mesa redonda seria da seguinte maneira:

Contaria com um apresentador que conhecesse de tudo um pouco do mundo esportivo. Nesse aspecto não tinha ninguém parecido com o Luciano do Valle, seria ele o meu âncora, mas como infelizmente ele não está mais entre nós, penso em três opções, todos dos canais ESPN, sendo que a ideia seria agradar aos gregos e troianos. Faria três programas semanais, cada Mesa com uma equipe diferente, sendo:

Apresentadores:

Paulo Soares, o Amigão, porque trata a notícia com responsabilidade e não perde o tom quando comete algum erro. Fora isso, tem um perfil de apresentar para todos os públicos e não apenas o masculino.

Everaldo Marques poderia ser o outro apresentador,pois também conhece da área e é um estudioso.

João Carlos Albuquerque tem experiência e conduz muito bem, além de gostar de fazer interações com o público e os comentaristas.

No caso dos convidados, para cada programa, sempre mesclaria de acordo com os eventos, por exemplo, quando tivesse um clássico levaria um jogador de cada equipe do passado para discutir e trazer as lembranças dos tempos de jogador.

Sempre nos 15’ finais do programa, contaria também com alguma atração de outro esporte, uma vez que não é todo mundo que curte apenas o futebol.Contaria com nove comentaristas fixos.

PVC – porque sabe muito e é bem influenciado

Mauro Cezar – porque fala o que pensa, doa a quem doer e conhece do ramo

Casagrande – porque viveu nas quatro linhas e não está preocupado em agradar

Raphael Rezende – porque é uma promessa que virou realidade. Conhece futebol e também acompanha os outros esportes.

Lédio Carmona – porque tem experiência e tem visão coerente e sem paixão.

Antero Greco – Porque faz críticas e elogios de forma interessante. Cutuca o que acha errado e dá a cara para bater.

Mauro Beting – Porque é sereno, direto e conhecedor.

Márcio Guedes – Porque é das antigas, sabe muito e comenta com precisão.

Lúcio de Castro – porque é um historiador que conhece o mundo esportivo. É crítico e apimenta as discussões.

E aí, você toparia assistir uma mesa redonda nesse formato? Curtiria esses participantes? Eu espero que sim.Até a próxima!



Sou formado em Publ & Prop, jornalismo e rádio. Trabalhei em grandes empresas do ramo de serviços e desde 2003 atuo na área esportiva. Fiz parte da equipe da rádio Record e rádio USP, onde criei, produzi e apresentei 2 programas esportivos. Coordenei o principal programa jornalístico da rádio Estadão ESPN. Atualmente atuo na área comercial.