São Paulo é recebido com garrafada pela torcida organizada, que poupa Ceni e Aidar

A delegação do São Paulo foi recebida com protesto ao chegar no Morumbi para a partida deste sábado, contra o Joinville, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. Membros da principal torcida organizada do clube fizeram camisas personalizadas com a seguinte frase: “Luto. Devolvam o nosso São Paulo”.

LEIA MAIS:
Teve pagode! Dante e Rafinha comemoram titulo do Bayern com música brasileira; assista
Nilmar faz gol contra o Vasco e reverencia a estatua de Romário; veja

Durante o protesto, vestiram máscaras de atletas e do vice-presidente, Ataíde Gil Guerreiro, e ironizaram com cruzes e velas. O pior aconteceu no momento em que o ônibus entrou no estádio: garrafas, entre outros objetos, foram arremessadas em direção ao veículo.

A torcida que protestou só perdoou duas pessoas: o goleiro Rogério Ceni e o protesto Carlos Miguel Aidar. O arqueiro foi enaltecido pela torcida organizada, que dizia: “esses jogadores frouxos estão manchando a sua história”.

O presidente não foi lembrado em nenhuma crítica, em situação oposta a Ataíde Gil Guerreiro, o mais criticado e principal personagem das máscaras produzidas. Pouco antes do início do jogo, já nas arquibancadas, os membros da torcida que protestaram contra a diretoria e elenco chamaram Luis Fabiano de “pipoqueiro” em corro que revoltou os torcedores comuns no Morumbi.

Foto: Getty Images



Radialista, Jornalista com passagens como correspondente pelo site italiano CalcioNews24.com e pelo Arena Rubro-Negra. Atualmente setorista do Fluminense e Futebol Sul-Americano no Torcedores.com