Mercado da bola: Presidente do Corinthians descarta renovação de Guerrero

Paolo Guerrero não deve ficar no Corinthians após o término de seu contrato, no dia 15 de julho. A direção alvinegra já jogou a toalha e disse que não tem condições de arcar com os valores pedidos pelo peruano.

LEIA MAIS:
Emerson Sheik está fora do Corinthians

“Está muito difícil de chegarmos a um consenso. Gostaria de atender o que ele está pedindo, mas não será possível. Enquanto não arrumamos as finanças do clube, não vou poder assumir um compromisso deste tamanho. Não adianta eu acertar um contrato e depois não pagar. Entendo o lado dele. Não é um mercenário. Mas não podemos pagar”, confirmou o presidente Roberto de Adrade em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira.

Para renovar com o Corinthians por mais três anos, Guererro pediu R$ 18 milhões em luvas e R$ 500 mil de salário. O TImão chegou a oferecer R$ 13 milhões. O peruano não aceitou. “Hoje, nem com esta oferta nós podemos honrar”, disse Andrade.

“Eu sinto muito como torcedor, ainda mais como presidente. Mas o Corinthians não pode se comprometer com um valor que não vai ter como pagar. Então achei melhor assim”, completou.

Guerrero deve fazer penas mais dois jogos com a camisa do Corinthians. Ele estará em campo neste final de semana, contra o Fluminense. Depois, no dia 31 de junho, no clássico contra o Palmeiras. Depois disso ele se apresenta à seleção peruana para a Copa América e, sem ter seu contrato renovado, não vai mais voltar.

Crédito da foto: Getty Images



Bruno Monteiro é repórter da TV Bandeirantes. Já atuou também em diversos outros veículos de destaque, como o Portal UOL, Jornal Lance e Sportv.