Opinião: O até logo de Gerrard e Xavi

Este último final de semana foi marcado por grandes emoções no futebol europeu. Claro, além das equipes erguendo seus troféus nacionais, as homenagens aqueles jogadores que sempre foram referências em seus clubes, e estão perto de um adeus.

Leia mais: Veja como foi a emocionante despedida de Xavi do Barcelona

Destes, dois jogadores em especial emocionaram a todos aqueles que acompanham futebol e fez pensar se é realmente apenas um esporte: Steven Gerrard e Xavi Hernández.

Dois atletas que defenderam as cores dos clubes únicos que jogaram e torciam, desde pequenos. Formados na base, meio-campos de passe refinado, que se tornaram lendas em seus clubes, do coração, de coração. Eternos números 8 e 6.

Liverpool e Barcelona, Anfield e Camp Nou. O inglês ficou 16 anos no clube, anotando 710 partidas pelos Reds, e joga pelo clube por causa de seu primo, falecido em uma tragédia, acompanhando o time de Anfield. O espanhol totalizou 17 anos de Barça, 765 partidas e fez do futebol, um esporte fácil e prático. Porém é incontável o número de vezes em que, dentro de campo, fizeram suas torcidas – que os fazem de escudo e amuleto – vibrar. Seja com gols, passes ou lançamentos, mais que precisos.

A despedida não é fácil. Esse dia parecia que nunca iria chegar, mas, infelizmente, chegou. Agora, ambos irão se distanciar, encerrar suas carreiras em lugares opostos. Gerrard irá para os EUA, ajudar o futebol a se tornar potência no país. Xavi vai para o Catar, jogar no Al Sadd e será embaixador na Copa do Mundo de 2022, que será realizada por lá.

Os dois já garantiram volta, porém fora dos gramados. Com terno e gravata. Ou seja. Não podemos considerar um adeus, e sim um até logo, até breve.

Como será ver Liverpool e Barcelona sem seus míticos jogadores?

Impossível imaginar seus substitutos. Que jogue com tanta identidade e lealdade.

Outros ícones como Drogba e Klopp também deixaram seus respectivos clubes com uma linda história embaixo do braço. Mas não tiveram lugar neste texto.

Gerrard nunca caminhará sozinho. Xavi fez das lágrimas a sua despedida.

Duas lendas, dois times.

Foto: Getty Images



Jornalista em formação - Amante do futebol, seja na América ou Europa. E claro, palmeirense sofredor, mais do que o normal.