Opinião: 6 motivos que levaram a queda de Luxemburgo no Flamengo

Foto: Gazeta

A campanha ruim no Campeonato Carioca e o mau início do Flamengo no Campeonato Brasileiro custaram caro para o treinador Vanderlei Luxemburgo. O treinador foi demitido após reunião na última segunda-feira. A diretoria já estava insatisfeita com o desempenho do time durante essa temporada.

LEIA MAIS:
Flamengo anuncia demissão de Luxemburgo

Léo Moura e goleiro Felipe comemoram demissão de Luxemburgo nas redes sociais

Além do desempenho abaixo das expectativas em campo, algumas atitudes do treinador não agradaram à cúpula do Fla. Listamos 6 motivos que levaram a queda do treinador:

1 – Falta de padrão tático da equipe do Flamengo:

Vanderlei Luxemburgo foi um dos responsáveis pela montagem do elenco do Flamengo para essa temporada. Por indicação do treinador, a diretoria do Fla contratou jogadores como os laterais Pará e Thallysson, o zagueiro Bressan e o atacante Marcelo Cirino. Mais recentemente, o Flamengo trouxe o lateral Armero e o meia Almir. Luxa também pediu as renovações de contrato de Marcio Araújo, Alecsandro e do zagueiro Marcelo. A permanência do meia Mugni também foi pedida pelo treinador. O argentino tinha proposta para ser vendido.

Desde a pré-temporada, realizada no início do ano em Atibaia, o treinador demonstrou que a intenção era de montar um elenco versátil e que atuasse com jogadores rápidos. O ponto forte da equipe seria a velocidade. Para isso, Luxemburgo apostava no sucesso do atacante Marcelo Cirino atuando como um falso “camisa 9″. O problema foi que Luxa não transperecia ter total confiança no esquema, chegando a alterá-lo várias vezes. Cirino voltou a atuar pelos lados do campo, com a entrada de Alecsandro no comando de ataque. O treinador também mudou o meio-campo da equipe, escalando o volante Jonas na vaga do armador Arthur Maia, passando assim atuar com três jogadores de características mais defensivas. O time passou a ficar mais pesado e lento. Na última partida contra o Avaí, o treinador mudou vários jogadores, não dando certo mais uma vez.

De fato, o rendimento do time foi o principal fator para a queda de Luxemburgo, segundo cartolas do clube

2- A eliminação no Campeonato Carioca:

Apontado como grande favorita ao título Estadual, o Flamengo foi eliminado para o Vasco nas semifinais da competição. A equipe rubro-negra tinha vantagem de dois empates, mas não conseguiu marcar sequer um gol nos 180 minutos do confronto, ficando assim fora da decisão do Carioca. A equipe já havia sido criticada por empatar com o rebaixado Nova Iguaçu, perdendo assim o título simbólico da Taça Guanabara.

3 – Início ruim no Campeonato Brasileiro:

Com a eliminação precoce no Carioca, Luxemburgo levou o elenco para realizar uma intertemporada, novamente em Atibaia. A expectativa era para um bom início no Campeonato Brasileiro. Após uma semana inteira de treinamentos no interior paulista, a equipe estreou contra o time misto do São Paulo, que aquela altura ainda disputava a Libertadores. A equipe voltou a mostrar as mesmas deficiências do estadual e acabou sendo derrotada por 2×1 pela equipe paulista. Com mais uma semana livre para treinos, Luxemburgo esperava se recuperar na competição, obtendo uma vitória contra o Sport no Maracanã. A equipe novamente teve uma atuação abaixo do esperado e chegou a estar perdendo por 2×0. O time reagiu nos minutos finais e arrancou um empate por 2×2, quando atuava com um jogador a mais em campo. A última partida de Luxa foi contra o Avaí. O treinador mudou a equipe, mas o time voltou a não corresponder em campo. Com uma atuação muito fraca o time foi derrotado por 2×1 e entrou na zona de rebaixamento com apenas um ponto.

4 – A exposição na mídia após proposta do São Paulo:

O trabalho de Luxemburgo no Flamengo vinha sendo elogiado desde o final do ano passado, quando o treinador comandou a recuperação da equipe no Brasileirão. E ao que parece, o trabalho vinha rendendo bem até o treinador declarar que gostaria de ouvir a proposta do São Paulo, afirmando ser um clube o qual sempre teve vontade de trabalhar. O treinador começou a comparecer em diversos programas de TV e o foco quase nunca era o time, mas assuntos extra-campo. Nos bastidores da Gávea, haviam dirigentes que estavam irritados com as entrevistas recentes do treinador, em que opinava sobre tudo na gestão do clube. E isso teve peso. Luxa chegou a criticar a Lei de Responsabilidade Fiscal rubro-negra, projeto aprovado no Conselho Deliberativo para que não se gaste mais do que arrecade.

5 – Aproveitamento dos jogadores contundidos:

A comissão técnica foi questionada pelo fato da grande quantidade de jogadores contundidos durante o ano. A quem diga que jogadores que ainda não estariam em condições ideias de entrar em campo, acabaram sendo escalados de forma prematura, e se contundiram novamente.

6 – Decisões questionáveis:

Houve um certo incomodo pelo fato do elenco receber algumas folgas após resultados negativos. O número baixo de treinamentos táticos também foi questionado. Outra questão foi do treinador questionar publicamente a possibilidade do Flamengo levar algumas partidas para fora do Rio de Janeiro. Para direção, isso era uma questão interna.

Curtiu essa matéria? Siga o autor no Twitter: @allanmadi