Na despedida, Guerrero pode igualar recorde de gols

Daniel Augusto jr

Centroavante peruano pode igualar-se a Dentinho no clássico de domingo contra o Palmeiras, seu último jogo antes de embarcar para a Copa América e possivelmente seu último jogo com a camisa do Timão.  Guerrero poderá se tornar o maior artilheiro do Timão no século 21.

Com 54 gols em 129 jogos, ele está a apenas um gol de alcançar mais um grande feito no Timão e igualar-se a Dentinho, principal goleador desde 2001, com 55 gols em 187 jogos. Guerrero teve uma grande chance no jogo contra o Flu no último domingo, mas a bola pingou no chão antes de atingir a caneleira do jogador, o goleiro estava fora da jogada e com o gol vazio a bola não entrou.

Se deixar mais essa marca no Timão, será só mais uma prova da falta que o jogador fará no futuro do clube. Usando o escudo do clube desde 2012, Guerrero ganhou a torcida quando tornou-se peça chave em grande jogos com gols nas vitórias por 1 a 0 sobre o AL Ahly e Chelsea, que garantiram que o Corinthians mais uma vez gravasse o seu nome no mundo, tornando-se o herói do Mundial.

Mesmo assim, Guerrero já é o melhor estrangeiro artilheiro da história do clube, em 17 de março, no jogo contra o Danubio, pela Copa Bridgestone Libertadores, ele chegou aos 47 gols pelo clube, passando o argentino Carlitos Tevez, que fez 46 gols em sua passagem pelo Timão.

Desde o fim de 2014, Guerrero negocia sua renovação de contrato que acaba em 15 de julho, sem sucesso. O camisa 9 pede R$ 18 milhões de luvas e salários na casa dos R$ 500 mil mensais. Em crise financeira, o presidente Roberto de Andrade afirmou que o clube não vai renovar. O jogador disse que não jogaria em outro clube do Brasil que não fosse o Corinthians. Apesar de manter sua preferência pela Europa, o centroavante autorizou a OTB Sports, grupo que o agencia, a ouvir propostas de outros clubes do país. Flamengo, Cruzeiro e Atlético-MG mostraram interesse. De todos, ele só descartou o Palmeiras, por ser arquirrival do Corinthians.

Imagem: Daniel Augusto Jr / Agência Corinthians

 

 

 

 

 



Formada em jornalismo pelo Mackenzie, demorei anos para perceber que dá, sim, para ir atrás dos sonhos e trabalhar com o que se gosta: o esporte. Hoje me divido entre o esporte e a política. Nunca vou me conformar com os que dizem: "É só futebol.."