Montoya vence a Indy 500 pela segunda vez na carreira

Juan Pablo Montoya venceu na tarde deste domingo (24) a 99ª edição das 500 Milhas de Indianápolis, sexta etapa da temporada 2015 da IndyCar Series. Esta é a segunda vez que o colombiano, piloto da Penske, vence a principal corrida do automobilismo americano, repetindo o feito de 2000. Will Power, atual campeão da Indy, ficou com a segunda colocação, enquanto Charlie Kimball completou a lista dos três melhores.

LEIA MAIS:
Rosberg aproveita erro da Mercedes em estratégia de Hamilton e vence em Mônaco

Scott Dixon, que liderou a maior parte das 200 voltas, ficou com a quarta colocação, seguido por Graham Rahal, melhor piloto com carro equipado pelo kit aerodinâmico desenvolvido pela Honda. Marco Andretti foi o sexto, enquanto o brasileiro Helio Castroneves ficou com a sétima posição. O grupo dos dez melhores ainda teve JR Hildebrand, Josef Newgarden e Simon Pagenaud.

Outro destaque da corrida, Tony Kanaan abandonou a disputa na 153ª passagem, quando perdeu o controle do carro preparado pela Chip Ganassi e bateu contra o muro, logo após ter feito uma parada nos boxes para troca de pneus e reabastecimento. Apesar disso, o brasileiro conseguiu liderar a prova, chegando a expressiva marca de 11 provas com pelo menos uma volta liderada em suas 14 participações na Indy 500.

A prova teve pelo menos dois momentos mais tensos: dois mecânicos foram atropelados nos boxes da Dale Coyne Racing quando James Davison e Tristan Vautier se tocaram. Mais tarde, um acidente com o colombiano Sebastian Saavedra obrigou a equipe de resgate da IndyCar a tirar o piloto do carro. O piloto da AFS/Ganassi saiu sem uma das sapatilhas e com uma expressão de muita dor.

A próxima etapa da IndyCar acontece já no próximo sábado, com a primeira bateria do Grande Prêmio de Detroit.

A corrida

Antes da largada, o carro de Conor Daly apresentou um problema no motor, adiando em algumas voltas o início das 500 Milhas. Logo na largada, Takuma Sato tocou o carro de Sage Karam e forçou a primeira bandeira amarela da corrida. Ainda com o Safety Car, Simona de Silvestro tocou em Juan Pablo Montoya, atrasando em quatro voltas o recomeço da prova.

A bandeira verde foi acionada na 13ª passagem e o que se viu na sequência foi Dixon mantendo-se na ponta, mas revezando a primeira colocação com Kanaan e Pagenaud. A prova seguiu até a volta 64, quando Bryan Clauson parou no muro após sair do traçado, forçando a segunda bandeira amarela. Os 23 primeiros foram aos boxes, com o francês da Penske assumindo a liderança.

Na volta 71 o Safety Car deixou a pista e rapidamente os pilotos da Chip Ganassi dominaram as duas primeiras posições, com Kanaan à frente de Dixon na maior parte do tempo. A corrida seguiu sem interrupções e teve uma rodada de pit-stops em bandeira verde, aberta no 99º giro pelo brasileiro do carro número dez. Após Castroneves completar a janela de paradas, Pagenaud assumiu a liderança.

A corrida continuou em bandeira verde e com o francês na ponta da corrida até a 113ª volta, quando Ed Carpenter tentou ultrapassar Oriol Servià, batendo na curva um do circuito, forçando nova intervenção do Safety Car. Durante a rodada de pit-stops, Tristan Vautier e James Davison bateram e dois mecânicos foram atropelados. Pagenaud seguiu na liderança, seguido por Power, Dixon, Montoya, Castroneves e Kanaan.

A relargada veio na 123ª volta, com Power superando Pagenaud, que retomou a liderança logo na sequência. Poucos giros depois, Dixon tomou a ponta da corrida, seguido pelos carros da Penske, exceto Castroneves, que caiu para o sexto posto, logo atrás de Kanaan. O neozelandês abriu a penúltima rodada de paradas nos boxes, no 150º giro. Três passagens mais tarde Kanaan perdeu o controle do carro, bateu e forçou mais uma bandeira amarela.

Charlie Kimball assumiu a liderança, pois saía dos boxes quando o Safety Car foi acionado. A prova teve seu reinício na volta 160 e Dixon demorou três voltas para superar seu companheiro de equipe, mas outra neutralização, desta vez por conta de detritos na pista, foi necessária na volta número 168, momento em que Marco Andretti apareceu pela primeira vez entre os cinco primeiros.

Exceto Carlos Muñoz e Justin Wilson, todos os líderes foram aos boxes, com Power sendo o melhor entre os que fizeram a parada. A relargada veio na volta 174 e o australiano da Penske assumiu a liderança, mas três voltas depois a corrida teve sua sexta bandeira amarela, por conta de um forte acidente com Jack Hawksworth, Stefano Coletti e Sebastian Saavedra, que deixou o carro carregado pelos socorristas.

Na volta 186 a prova recomeçou com Dixon assumindo a liderança. O piloto da Chip Ganassi, Power e Montoya passaram a se revezar na ponta da prova, com o colombiano ganhando o primeiro lugar de maneira definitiva na 197ª passagem, ao superar seu companheiro de equipe, que chegou um décimo depois do dono do carro número dois.

Foto: Getty Images



Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.