Matías Rodríguez confirma agressão sofrida por torcedor gremista: “É inaceitável”

Getty Images

Há pouco mais de uma semana, o lateral-direito Matías Rodríguez sofreu agressão de um torcedor gremista durante o desembarque da equipe no aeroporto Salgado Filho, após a derrota para o Coritiba (2 a 0), no Couto Pereira. Em entrevista ao site Zero Hora, o argentino explicou o ocorrido.

LEIA MAIS:
Mercado da bola: Clube da Rússia está de olho em Yuri Mamute
#Tite54anos: Treinador esteve presente na última conquista do Grêmio em âmbito nacional

“Eu estava saindo do aeroporto e um cara me deu um soco nas costas. Entendo que a pressão existe, é normal quando os resultados não acontecem. Mas agressão física é demais, é inaceitável. Por pior ou melhor que um jogador seja, sempre tenta dar seu melhor. Imagina se estou levando meu filho ao colégio e isto acontece?”, questionou.

O jogador declarou não ter prestado queixa na delegacia de polícia e mostrou surpresa com o ato violento.

“Fui surpreendido, é algo que nunca imaginei que aconteceria na minha vida. Estávamos saindo do desembarque e os seguranças foram na frente. Fiquei um pouco atrás, junto ao Galhardo, e um torcedor deu o soco. Não que foi forte, para me derrubar. Mas eu não podia fazer nada, tive que sair caminhando”, disse.

Na última terça-feira, horas após o anúncio do pedido de demissão do técnico Felipão, a diretoria gremista confirmou que Matías teria o contrato de empréstimo junto a Sampdoria rescindido. O jogador negou que a agressão tenha sido decisiva para a não permanência.

“Eu já sabia que não ia continuar no Grêmio. Como o contrato termina no final de junho, pedi para antecipar minha saída”, disse.

Matías ainda não definiu o seu futuro. Especula-se que o seu provável destino seja a Universidad de Chile ou o Boca Juniors.

“Ainda não recebi propostas. Por enquanto, sigo treinando no Grêmio, estou fazendo só treinos físicos. Ainda não assinamos a rescisão. Passei o final de semana na Argentina com minha família e voltei. Preciso manter a forma física, não posso deixar de treinar”, explicou.

foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)