Maradona jogando no Morumbi: O épico jogo das faixas…

Reprodução

Desiludido com as constantes decepções protagonizadas pelo atual plantel Tricolor, resolvi mergulhar por alguns momentos na robusta história que escrevemos no início da década de 90.

Dentre as mais do que conhecidas vitórias da lendária equipe de Telê Santana, uma delas me chamou total atenção: o dia em que Diego Armando Maradona desfilou seu futebol pelo gramado do Morumbi.

O Tricolor era recém Campeão do Mundo e o amistoso frente ao Sevilha marcaria a entrega das faixas.

Confesso que não me lembrava desta nobre ocasião, mas quando bati o olho na data em que ocorreu logo percebi que deveríamos batizá-la como o Dia Internacional da Genialidade…

27 de Março de 1993. Naquela ocasião, recebíamos no Morumbi a ilustre visita do ‘Pibe de Oro’, considerado o segundo maior jogador de todos os tempos.

27 de Março de 2011. Dezoito anos depois, Rogério Ceni, considerado por nós o maior goleiro de todos os tempos, imortaliza a data anotando seu centésimo gol frente ao rival.

Naquela oportunidade, apesar de estampar o poste esquerdo de Zetti, Maradona não pôde evitar a derrota do Sevilla para o atual – na época – Dono do Mundo. O Tricolor voava. Acabara de voltar de Tóquio, onde o Barcelona de Stoichkov sucumbiu ao poderio de fogo do Mestre Telê e seus comandados.

Assim como em Tóquio, o show em São Paulo também teve como grande protagonista o Terror do Morumbi. Raí marcou os dois gols e ainda ganhou os cumprimentos de Maradona após a partida. Nenhuma novidade, já que o camisa 10 costumava decidir jogos importantes (Recomendo seriamente que LF9 também veja alguns desses vídeos).

Meses depois, já sem Raí, vendido ao PSG, voltaríamos a Tóquio para encarar o temido Milan de Fabio Capello. O resultado todo mundo já sabe…

Veja os gols na narração de Jota Júnior:

Crédito da foto: Reprodução



Redator publicitário e editorial, colunista no site Por Baixo das Pernas e depoente no filme Soberano 2. Acredita que mulher, cerveja e futebol são os propósitos da vida.