Cruzeiro tenta esquecer Brasileiro para focar River pela Libertadores

Divulgação/Site oficial do Cruzeiro

O Cruzeiro melhorou no Campeonato Brasileiro no último (24). Empatou com a Ponte Preta por 1 a 1, no Mineirão, resultado melhor do que as duas derrotas nas duas primeiras partidas do nacional. Mas o objetivo da Raposa na temporada tem nome e sobrenome: Taça Libertadores da América. Na próxima quarta-feira (27), o Cruzeiro enfrenta o River Plate, no Mineirão, pelo jogo de volta das quartas de final.

LEIA MAIS:
Cruzeiro deixa escapar vitória, mas jogadores comemoram ponto no Brasileirão

Tanto é que, diante da Ponte Preta, o técnico Marcelo Oliveira (foto) mandou a campo o time reserva. Os titulares foram poupados para o confronto com o time da Argentina. O Cruzeiro, aliás, tem boa vantagem para este jogo. No Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, a Raposa venceu o rival por 1 a 0 na última quinta-feira (21). Um empate por 0 a 0 no Mineirão coloca o time de Belo Horizonte na semifinal do torneio continental.

“Nós adquirimos uma vantagem muito boa, contra um forte adversário e sem levar gols, mas não é definitivo. O River Plate tem uma bela equipe, que vem jogando melhor fora de casa. Então é necessário que a gente tenha esse espirito, com todos envolvidos com o jogo, nós que vamos ao campo, a torcida que vai em grande número, e tendo paciência porque será um jogo extremamente difícil e foi por isso que descansamos nossos jogadores”, disse o técnico Marcelo Oliveira ao site oficial do Cruzeiro.

No Campeonato Brasileiro, o time tem apenas 1 ponto conquistado entre 9 disputados. Nem de longe, o Cruzeiro lembra a equipe que dominou o torneio nos dois últimos anos. A Raposa é apenas a 18ª colocada em 2015. Por isso, é bom que o time vá longe na Libertadores, pois o tricampeonato está ficando mais complicado a cada rodada.

“Posso dizer, com toda segurança, que nós perdemos dois pontos. Não que tivéssemos sido absolutamente superiores, mas no segundo tempo nos atacamos muito. Foram 10 finalizações, acho que 12 escanteios, e só foram criados porque estávamos no campo de ataque. Não foi um jogo brilhante tecnicamente, foi um jogo de muita marcação. A Ponte Preta é muito bem armada, ela tem contra ataque, ela se recompõe, um ataque muito rápido”, justificou o comandante do Cruzeiro sobre o empate por 1 a 1 com a Ponte Preta.

Crédito da foto: Divulgação/Site oficial do Cruzeiro



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.