4 desafios que o novo técnico Roger Machado terá no Grêmio

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Roger Machado, velho conhecido da torcida gremista, foi anunciado nesta terça-feira como o antecessor do técnico Luiz Felipe Scolari, que pediu demissão na semana passada. Ex-lateral da equipe entre 1994 e 2003 e auxiliar técnico entre 2011 e 2013, o comandante terá alguns desafios até o final da temporada, quando estava previsto o término do contrato.

LEIA MAIS:
Grêmio oficializa a contratação do técnico Roger Machado
Cristóvão Borges lamenta não ter acertado com o Grêmio: “Foram poucos detalhes”

Confira quatro deles:

1 – Transformar um time sem grandes craques em um grupo competitivo

O antecessor Felipão reclamou com certa da razão da ausência de grandes jogadores no elenco gremista. Sem dinheiro para grandes investimentos, a diretoria deve apostar em reforços baratos para a sequência da temporada. Roger Machado terá um trabalho competente para levar o Tricolor a grandes resultados no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil?

2 – Dar mais espaço aos garotos das categorias de base

O Grêmio realiza um bom trabalho nas categorias de base. Alguns jovens têm sido aproveitados com frequência no time profissional, casos dos atacantes Yuri Mamute e Luan. Há outros jogadores com grande potencial como o lateral-direito Raul, destaque da última Copa São Paulo de Juniores, e o meia Lincoln, de apenas 17 anos. Ambos merecem atenção especial do novo chefe.

3 – Aumentar a produção ofensiva do time

Com Felipão e o interino James Freitas, o Grêmio até teve bom poder de criação de jogadas, mas na hora de concluir ao gol, os jogadores deixaram a desejar. Para se ter uma ideia, na última partida, contra o Figueirense (vitória por 1 a 0), 11 das 16 finalizações foram erradas, segundo o Footstats. Não fosse a má pontaria, o time teria tido uma vantagem mais tranquila contra os catarinenses. Roger e seus auxiliares devem priorizar este fundamento nos treinamentos.

4 – Evitar que a pressão por títulos afete psicologicamente os jogadores

O Grêmio não fatura um título sequer desde o Estadual de 2010. Em âmbito nacional, o jejum é maior: desde 2001, quando levantou pela última vez o troféu da Copa do Brasil. A torcida, com certa razão, não aguenta mais tantas gozações dos rivais. Contra o Inter na final do Gauchão, alguns jogadores sentiram o peso. A equipe acabou perdendo o título nos detalhes.

Foto:  Lucas Uebel/Grêmio FBPA

 



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)