Pego no antidoping, volante Magrão revela tratamento contra o câncer

Pego no exame antidoping em partida contra o Inter na primeira fase do Campeonato Gaúcho, o volante Magrão se pronunciou minutos antes do Novo Hamburgo jogar às quartas de final contra o Grêmio, na noite de quinta-feira. Emocionado, o jogador revelou que está em tratamento contra câncer nos testículos descoberto em 2011, e acredita que substância encontrada em sua urina seja proveniente dos remédios.

LEIA MAIS:
Grêmio x Novo Hamburgo: assista aos gols da classificação do Tricolor

Como pediu a contraprova, ele teve condições legais para entrar em campo contra o Grêmio. O atleta, que teve passagens por Palmeiras e Inter, procurou à imprensa para dar a sua versão e no final não segurou as lágrimas.

Confira o pronunciamento 

“Em 2011, quando eu estava nos Emirados Árabes, eu passei por um exame antidoping, que deu positivo. Fomos avaliar o que eu tinha. Era um drama pessoal que carrego há quatro anos. Eu tinha um câncer de testículos. Tive que tirar um testículo. Só quem sabia era a minha família e amigos próximos. Estou tendo que externar isso. Tomo remédios há cinco anos. Tem pessoas que gostam de mim, que sabem do meu caráter. Não é nada ilícito. Há muita chance de a contraprova dar negativo. Eu não queria externar isso publicamente, gostaria de encerrar a minha carreira sem revelar isso. Tenho que fazer controle. O último que eu fiz foi em novembro. Tenho todos esses documentos, estou muito tranquilo. Agradeço à diretoria do Novo Hamburgo. Deve ter sido algum medicamento que eu tomo para o controle. É triste eu ter que externar isso. Só quem sabe disso era a minha família, meus filhos. Era um segredo meu. Até me emociono. Como defesa, tive que externar isso a vocês. Acho que o câncer não vai voltar mais. Até agora, graças a Deus, não voltou. É uma coisa íntima, peço desculpas a minha família, mas precisava me defender. Não poderiam colocar em dúvida toda a minha carreira e o meu caráter, as crianças que me têm como um ídolo… Por isso estou aqui falando isso. Espero ter a cabeça no lugar para entrar em campo”, disse o jogador.

Magrão jogou os 90 minutos da partida, porém, não conseguiu evitar a eliminação de sua equipe nas penalidades, após o empate em 1 a 1 no tempo normal.

crédito foto: Divulgação/Esporte Clube Novo Hamburgo

 



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)