Inter sofre no Beira-Rio, mas passa pelo Cruzeiro-RS nos pênaltis e está na semi

Que sufoco, Inter! Quase que o Colorado fica pelo caminho do Campeonato Gaúcho na noite desta quarta-feira, em pleno Beira-Rio. Os comandados de Diego Aguirre sofreram 2 a 0 do modesto Cruzeiro-RS, perderam um pênalti e, nos últimos 15 minutos de jogo, empataram a partida com dois de Lisandro López e passaram de fase nas penalidades.

O jogo começou bom para os donos da casa, que finalizaram ao menos duas vezes com perigo, uma com Eduardo Sasha e outra com D’Alessandro, ambas defendidas pelo goleiro Bruno Grassi, que parece crescer sempre que enfrenta o Colorado.

Em uma das pouquíssimas chances do Cruzeiro-RS, em uma ironia do destino, o goleiro Alisson deu um golpe de vista falho, ficou estático e viu um chutaço de Matheus entrar, calando as arquibancadas do Gigante, aos 37 do primeiro tempo. Na volta do intervalo, nem deu tempo direito do Inter assimilar as orientações de Aguirre. Aos 4 minutos, Wesley completou um cruzamento e aumentou a aflição do torcedor.

Pensando em reverter a situação, Aguirre abriu mão da estratégia inicial e lançou mão de peças importantes que seriam poupadas pensando nas semifinais do Estadual e no duelo com a U. de Chile, pela Libertadores, semana que vem.

E foi em uma dessas mudanças que entrou o jogador que mudou o jogo: o atacante argentino, que sequer havia feito um gol este ano, Lisandro López. Porém, antes da estrela do hermano brilhar, D’Alessandro, seu conterrâneo, perdeu um pênalti, aos 11, e deixou no ar uma sensação de que a noite não seria vermelha e branca. Apenas sensação, ainda bem.

Aos 31, o Colorado conseguiu outro pênalti e, dessa vez, Lisandro López se encarregou de colocar a bola para um lado e ver o goleiro cair para o outro. Quatro minutos mais tarde, de novo ele: subiu mais alto que a defesa do Cruzeiro-RS e mandou para dentro o gol de empate.

Nos minutos finais, restou ao time tentar a virada e ela só não veio porque o próprio Lisandro López, herói da noite, e Rafael Moura perderam gols quase feitos. As cobranças de pênaltis, para decidir a vaga, foram uma consequência inevitável do empate nos 90 minutos, resultado do regulamento, bastante questionável.

Nelas, ao contrário do que aconteceu ao longo do jogo, o Inter não teve dificuldades. D’Alessandro se redimiu do erro no tempo normal e fez o seu, assim como Lisándro Lopez e Juan. Rafael Moura, por outro lado, desperdiçou sua cobrança, que acabou não fazendo falta, pois Laerte, Rodrigo Heffner e Ben Hur erraram suas oportunidades e fizeram o Colorado, depois de muito suor, se classificar.

Pênaltis
Inter: D’Alessandro, Lisandro López e Juan fizeram; Rafael Moura errou
Cruzeiro-RS: Jeferson fez; Laerte, Rodrigo Heffner e Ben Hur erraram

FICHA TÉCNICA
INTER 2 (3) x 2 (1) CRUZEIRO-RS

Local : Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data : 8 de abril de 2015, quarta-feira
Horário : 22 horas (de Brasília)
Árbitro : Diego Real
Assistentes : Jorge Bernardi e Élio Andrade Júnior
Renda : R$ 306.215,00
Público : 11.788 (9.396 pagantes)
Cartões amarelos : William e D’Alessandro (Internacional); Ben Hur (Cruzeiro)
Cartões vermelhos : Rodrigo Dourado (Internacional); André (Cruzeiro)

GOLS
INTERNACIONAL : Lisandro López, de pênalti, aos 31 e aos 35 minutos do segundo tempo
CRUZEIRO-RS : Matheus, aos 39 minutos do primeiro tempo; Wesley, aos 4 minutos do segundo tempo

INTERNACIONAL : Alisson; William, Ernando, Juan e Géferson; Rodrigo Dourado, Jorge Henrique (Anderson), D’Alessandro e Valdívia (Rafael Moura); Eduardo Sasha e Nilmar (Lisandro López)
Técnico : Diego Aguirre

CRUZEIRO-RS : Bruno Grassi; Jaiminho, Carlão, André e Jefferson; Benhur, Reinaldo, Paraná (Carlão) e Wagner; Matheus (Rodrigo Heffner) e Wesley (Claudinho)
Técnico : Luiz Antônio Zaluar

Foto: Divulgação / SC Internacional



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...