Felipão fica satisfeito com atuação do Grêmio e critica regulamento do Gauchão

O Grêmio passou por apuros contra o Novo Hamburgo, na noite de quinta-feira, na Arena, pelas quartas de final do Gauchão. Saiu atrás no placar, mas buscou o empate no tempo normal e com a vitória nas penalidades, avançou à semifinal. Mesmo com todo o sofrimento, o técnico Felipão elogiou os seus jogadores. Por outro lado, criticou o sistema de decisão em jogo único.

LEIA MAIS: 
Grêmio x Novo Hamburgo: assista aos gols da classificação do Tricolor

“”Eu entendo que foram dois tempos distintos, embora nós tivéssemos o domínio do jogo no primeiro tempo. Com as possibilidades melhores de gol, mas a qualidade do Fred na batida da bola foi fantástica. O Marcelo nem viu onde a bola passou. Eles aproveitaram a jogada que é normal e tradicional de uma equipe que veio fechada para jogar para aquela bola. Depois, faz o gol e fica com contra-ataques. O primeiro tempo foi mais equilibrado. O segundo tempo, não. Ao término do segundo tempo e antes das penalidades, eu falei ao grupo, que ganhando ou perdendo, estava satisfeito com o que fizeram. Fomos superiores e criamos as oportunidades”, disse.

Apesar dos elogios, o treinador voltou a mostrar preocupação com o excesso de chances perdidas na partida. O meia Douglas desperdiçou cobrança de pênalti, quando a partida estava empatada em 1 a 1.

“O erro nosso continua sendo desperdiçar as chances. Criamos cinco ou seis chances vivas de gol. E temos feito um ou dois gols. Isso pode nos causar problemas lá na frente. Eles estão de parabéns porque ganharam nas penalidades, mas se tivessem perdido, também teria ficado satisfeito”, analisou.

Durante entrevista coletiva, o comandante criticou o regulamento da competição, que não concede nenhuma vantagem – a não ser o mando de campo – às equipes com as melhores campanhas na primeira fase. O Grêmio foi o vice-líder.

“Eu não consigo entender e acho que Grêmio e Inter têm que pensar sobre isso. Se é para ter uma vantagem, a vantagem de jogar em casa é zero. Na minha opinião, quando se joga um campeonato todo para chegar entre os quatro para só jogar em casa, a campanha não vale nada.  Em um jogo, a tua equipe pode não estar bem e sair do campeonato. Dois jogos é mais equilibrado. Qual a vantagem do Grêmio, Ypiranga, Brasil e Inter se empatar e for para os pênaltis? Empatou está classificado. Aí, é uma vantagem. Já vou colocar essa opinião para o meu presidente. E vou ser contra se ficar no Grêmio no ano que vem”, concluiu.

O Grêmio volta a campo no próximo domingo (16h), pelo jogo de ida da semifinal contra o Juventude, no Alfredo Jaconi.

crédito foto: Lucas Uebel/Site oficial do Grêmio



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)