“Estou convencido que tudo vai se resolver e vou ficar no Corinthians”, diz Guerrero

A novela envolvendo a renovação contratual do atacante corintiano Guerrero ainda não teve o seu fim. Em entrevista ao programa “Bola da Vez”, na ESPN, o peruano reafirmou mais uma vez o desejo em ampliar o seu vínculo, que se encerra em julho deste ano. Ele desmentiu que o caso tenha se definido e só vai voltar a iniciar as conversas sobre a renovação quando o clube quitar as dívidas referentes aos direitos de imagens com ele e outros jogadores.

LEIA MAIS:
Corinthians cresce e atinge marca de 90 mil sócios-torcedores
Opinião: Arena Corinthians é sucesso de público, mas poderia receber muito mais gente

“Na verdade, até agora não definimos nada. Conversas sobre renovação ficaram em “stand by”, porque o Corinthians tem que resolver outras coisas. Já falei muitas vezes com o Roberto (de Andrade, presidente do clube) e o Sérgio (Janikian, diretor de futebol) e essa conversa de renovação vai começar depois que eu receber isso (direitos de imagem atrasados). Até agora não falei com meu empresário. Ele (Roberto) me pediu paciência, pois o clube está passando por uma fase não muito boa economicamente, mas estou tranquilo, focado no meu trabalho e em ajudar a equipe”, explicou.

O camisa 9 está otimista em um desfecho positivo da novela e disse estar convencido que tudo vai se resolver no final e ele vai acabar permanecendo no Timão.

“Não posso deixar de lado que eu já tenho 31 anos. Sei que o torcedor corintiano quer uma renovação, mas não sou jovem e tenho que procurar o melhor para mim. Tenho que ver essas prioridades. Espero que se solucione da melhor maneira e estou convencido que tudo vai se resolver e, no final, vou ficar no Corinthians”, completou.

A gestão passada do presidente Mario Gobbi iniciou as conversas para a prorrogação contratual, porém, o staff do atacante pediu US$ 7 milhões (R$ 23 milhões, nos valores atuais) em luvas, enquanto o clube ofereceu US$ 4 milhões (R$ 13 milhões).

Eleita em fevereiro, a atual gestão admite pagar até US$ 5,5 milhões (R$ 18,3 milhões), parcelados ao longo de três temporadas, que seria o tempo do novo acordo. Os salários subiriam de R$ 480 mil para R$ 500 mil. Foi cogitado até um empréstimo bancário.

crédito foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

 

 



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)