Opinião: É hora do Cruzeiro reagir na Libertadores!

Cruzeiro
Foto: Reprodução/Facebook

O Cruzeiro se prepara para mais um desafio na Copa Libertadores. Desta vez, a Raposa entra em campo para encarar novamente o Mineros de Guayana-VEN, no Mineirão. No primeiro encontro, na Venezuela, vitória celeste por 2 a 0 em um jogo fraco tecnicamente. Porém, apesar do amplo favoritismo do time celeste nesta quarta-feira (8), o torcedor tem motivos para ficar desconfiado, principalmente após a derrota para o Tombense na última rodada da primeira fase do Campeonato Mineiro.

LEIA MAIS
Duelo entre Atlético e Cruzeiro na semifinal “esfria” emoção e cria impasse no estadual
Segundo dirigente, Júlio Baptista não terá seu contrato renovado com o Cruzeiro

O que o torcedor viu em campo foi um time apático, com pouco entrosamento e abusando das bolas cruzadas na área. O jovem Mayke, um dos que mais busca o jogo, tem tido dificuldades para armar suas jogadas e chegar à linha de fundo, principalmente pela falta de apoio dos companheiros.

Desde a saída do diretor de futebol, Alexandre Mattos, que atualmente está no Palmeiras, os bastidores celestes parecem desorganizado e isto está refletindo em campo e também nas contratações, abaixo do que se espera do atual bicampeão brasileiro.

Para aumentar a esperança celeste, a diretoria em breve deve anunciar a contratação do polêmico Fabrício, que por causa do pitoresco episódio diante da torcida do Internacional, acabou com o seu contrato sendo rescindido. De fato, talvez essa não fosse a contratação que muitos cruzeirenses esperavam.

Contudo, é verdade também que o técnico Marcelo Oliveira ainda não conseguiu acertar a lateral-esquerda. No setor, Mena tem tido as principais oportunidades entre os titulares. Porém, de longe é unanimidade. Ainda sem aparecer muito, o chileno não mostrou a que veio, assim como Gilson e Pará, outros postulantes à titularidade na equipe da Raposa.

Para melhorar um pouco a situação, Marcelo Oliveira tem o retorno do atacante Willian, que não atua desde o dia 8 de março. Antes de se lesionar, o atacante também não estava mostrando um bom futebol. Ao contrário disso, atuações irregulares fizeram parte da rotina do atleta.

Porém, com a pouca mobilidade mostrada pelo setor ofensivo do Cruzeiro, muito pelas fracas atuações de De Arrascaeta, o “Bigode” pode ser uma ótima peça para mudar a postura da equipe na segunda etapa diante do Mineros, caso necessário.

O chamado dos jogadores que esperam casa cheia foi atendido e a torcida celeste já garantiu mais de 22 mil entradas para acompanhar o time. Resta saber, se o Cruzeiro começará a mostrar a que veio na temporada 2015. Já estamos em abril e esse papo de início de temporada já não cola mais. É hora de reagir.

Foto: Reprodução/Facebook



Foi editor do semanário BolanoBarbante, apaixonado por esportes, entusiasta das corridas de rua e dos jogos de tênis.