Cinco momentos que provam que o São Paulo é o favorito ao título paulista

Crédito da foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

O São Paulo inicia neste sábado (11), contra o Red Bull Brasil, mais um mata-mata de Campeonato Paulista de sua história. Nos últimos 14 anos, as lembranças do torcedor Tricolor não são as melhores. Foi em 2000, contra o Santos, que o time do Morumbi conseguiu seu último título Paulista no formato eliminatório, como este de 2015.

LEIA MAIS:
Confiante após vitória contra a Lusa, Hudson diz: “o melhor ainda está por vir”
Wesley pode ser titular no São Paulo contra o Red Bull Brasil

De lá para cá o time conquistou ainda mais um título Estadual, em 2005, mas o formato de disputa não tinha mata-matas, o que aliviou um pouco a barra do são paulino. Além deste ano, porém, o torcedor teve de aguentar eliminações vexatórias, para os mais diversos times, seguidas de provocações dos rivais – o que é lei, nesses casos.

Em 2015, não há muitos motivos concretos para se crer que a história será diferente. Porém, alguns escassos momentos de glória vividos pelo São Paulo, ao longo das 15 rodadas passadas até agora, acendem a chama da esperança de que, em 2015, o Tricolor voltará a erguer o troféu do Paulistão. O Torcedores.com acredita que são estes, a seguir:

1. Bom desempenho contra times pequenos

O São Paulo pode não ter vencido nenhum clássico, mas contra os pequenos, só teve um revés, que foi diante do Botafogo-SP, na penúltima rodada, época em que a pressão em Muricy já era insustentável. Nos demais 11 jogos diante das equipes pequenas, o time conseguiu dez vitórias e um empate, o que pode pesar a favor do Tricolor nas quartas-de-final, contra o Red Bull Brasil, e dar força para os mata-matas seguintes.

2. Gols de Alexandre Pato

Ao menos um jogador do elenco do São Paulo teve um desempenho positivamente surpreendente na primeira fase do Paulista: o atacante Alexandre Pato. Nas 15 rodadas do Estadual, nas quais nem todas contaram com a presença do jogador, ele marcou sete gols, sendo o artilheiro do time na competição, ao lado de Alan Kardec. Agora, nas finais, os gols de Pato serão ainda mais bem-vindos.

3. Elenco numeroso e qualificado

Este item não é um momento propriamente dito, mas não pode passar batido. O elenco do São Paulo, além de numeroso, demonstrou-se, de fato, qualificado ao longo da primeira fase. Não foram poucas as vezes que o treinador optou por usar um time reserva ou misto e, em boa parte delas, a equipe correspondeu.

4. Posturas dos garotos da base

Pegando carona no item anterior, em muitos jogos da primeira fase, o time do São Paulo foi representado por reservas, muitos deles, jovens das categorias de base do clube. Dois, em especial, tiveram mais destaque: o meia Boschilia e o atacante Ewandro. O primeiro marcou dois gols e o segundo apenas um, mas não é só isso. Ambos demonstraram personalidade nas vezes em que foram exigidos, o que será decisivo daqui em diante.

5. Mudança de técnico

Por mais que Muricy não tenha sido o único culpado da má fase do time no começo de ano, sua saída pode ter dado uma oxigenada no clima dentro do grupo. No jogo contra a Portuguesa, na última rodada, um comportamento diferente em campo já foi observado: o time se movimentou mais, se ajudou mais, não se contentou em momento algum. Esse é o caminho para ser campeão.

* Curtiu esta matéria? Siga o autor no Twitter: @thijacintho

Foto: Divulgação / São Paulo FC



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...